Consultor Jurídico

Virou freguês

Por ordem de Alexandre de Moraes, blogueiro bolsonarista é preso de novo

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, ordenou mais uma prisão do blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, desta vez por descumprir medidas cautelares impostas a ele pela corte à época de sua primeira detenção, em consequência do inquérito sobre atos antidemocráticos. A ordem foi cumprida pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira (17/11).

O blogueiro bolsonarista vai ficar em prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica
Reprodução

O blogueiro foi detido em sua residência e levado à Superintendência da PF para que fosse realizada a instalação de tornozeleira eletrônica. Ele ficará em prisão domiciliar.

Em sua decisão, o ministro argumentou que Oswaldo Eustáquio descumpriu as ordens para não sair de Brasília e para não usar as redes sociais. Recentemente, o blogueiro bolsonarista esteve em São Paulo e divulgou um vídeo com acusações contra Guilherme Boulos, candidato do PSOL à prefeitura paulistana. O vídeo foi retirado do ar por ordem da Justiça Eleitoral.

Suspeito de participar da organização de atos contra as instituições democráticas, o blogueiro foi preso pela primeira vez em junho, também por ordem do ministro Alexandre de Moraes.

Após a prisão ocorrida nesta terça-feira, o bolsonarista divulgou uma nota em que afirmou que sua nova detenção é "ilegal, imoral e inconstitucional" e se disse vítima de perseguição por, segundo suas palavras, ter cometido "crime de opinião".

PET 8.961




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 17 de novembro de 2020, 9h52

Comentários de leitores

13 comentários

Quem pediu a prisão?

Tarquinio (Advogado Autônomo - Empresarial)

O PGR pediu? Faltou essa informação.

Se não pediu, e o sistema acusatório (kkk...)?

Cade os especialistas (todos esquerdistas) que a conjur sempre convoca para expor apenas uma face da moeda?

Blogueiro? Mas ele é jornalista filiado, seria essa uma fake news?

Se eu chamar a ConJur de "blog petista" estaria espalhando fake news?

Será se permitirão esse meu comentário ou será que bloquearao este perfil (como fizeram com um outro)?

Artigo tendencioso, com "fake news" no título. RIDICULA.

Moreira Neto (Advogado Assalariado - Criminal)

É uma lástima. Quem diz que combate as "fake news" é quem mais pratica a mentira institucionalizada. O cidadão vítima desse inquérito Kafkiano, ficar sendo chamado de Blogueiro quando é um JORNALISTA devidamente credenciado no FENAJ. E isso não é, então uma NOTÍCIA FALSA? Acredito que essa classificação já demonstre que o artigo tem viés, e não é jurídico, não é técnico. Por óbvio, pois a técnica EXIGE que se rechace esse inquérito arbitrário. "ATOS ANTI DEMOCRÁTICOS"? O povo nunca é antidemocrático, pois a democracia VEM do povo, e não das instituições que, por sua natureza, só podem existir se for para servir o povo, nunca ao contrário!
Aí, observe-se... quem é o autor dessa "pérola" publicada no CONJUR? Não localizei a autoria!

Tempos obscuros

Car.Borges (Bacharel)

Muito sombrio ver que pessoas do mundo jurídico estão a defender prisões cautelares para pessoas que em tese estão cometendo "crimes' de opinião, tudo isto embasado no chamado inquérito do fim do mundo do Ministro Alexandre de Moraes.
"Um dia vieram e levaram meu vizinho que era judeu.
Como não sou judeu, não me incomodei.
No dia seguinte, vieram e levaram
meu outro vizinho que era comunista.
Como não sou comunista, não me incomodei.
No terceiro dia vieram
e levaram meu vizinho católico.
Como não sou católico, não me incomodei.
No quarto dia, vieram e me levaram;
já não havia mais ninguém para reclamar."

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 25/11/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.