Consultor Jurídico

Ataque cibernético

Sistemas de informática do STJ voltam a funcionar, mas sessões são adiadas

O Superior Tribunal de Justiça anunciou nesta segunda-feira (9/11) que seus sistemas de informática foram parcialmente restabelecidos, mas isso não significa dizer que a vida na corte voltará imediatamente ao normal. As seis turmas do STJ tinham sessões por videoconferência marcadas para esta terça-feira (10/11), mas todas foram adiadas.

Aos poucos, a vida no Superior Tribunal
de Justiça vai voltando ao normal
STJ

Segundo o tribunal, a decisão foi tomada porque ainda há instabilidades pontuais e também para assegurar todas as garantias às partes.

Veja como ficou a situação de cada colegiado:

  • 1ª Turma: a continuação da sessão de 3 de novembro e a sessão ordinária do dia 10 foram transferidas para 17 de novembro;
  • 2ª Turma: a continuação da sessão do dia 3 e a sessão prevista para o dia 10 foram transferidas para 17 de novembro;
  • 3ª Turma: a sessão do dia 10 foi cancelada, e todos os processos, transferidos para 17 de novembro;
  • 4ª Turma: a continuação da sessão do dia 3 e a sessão ordinária do dia 10 estão suspensas até ulterior deliberação;
  • 5ª e 6ª Turmas: a sessão de 10 de novembro foi cancelada. 

As últimas sessões das turmas foram interrompidas no dia 3 por causa do ataque cibernético que atingiu a rede informatizada do STJ. Desde então, as decisões de urgência passaram a ser tomadas pelo presidente da corte, ministro Humberto Martins. Com a normalização do acesso de magistrados e servidores ao Sistema Justiça e a outras funcionalidades, a partir desta terça-feira, a análise das petições retornará aos relatores originais dos processos.

Além disso, os prazos processuais, que estavam suspensos, voltarão a fluir e a distribuição dos processos também voltará a ser feita regularmente. 

De acordo com a corte, a investigação do ataque cibernético por ela sofrido está sob a responsabilidade da Polícia Federal e corre em sigilo. Com informações da assessoria de imprensa do STJ.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 9 de novembro de 2020, 21h59

Comentários de leitores

1 comentário

Não é possível fazer pesquisa de jurisprudência

E. Coelho (Jornalista)

Constatei agora, às 07:39 h, que o acesso está restrito a quem possui Cartão Inteligente de Assinatura Digital.
.
Além disso não é possível fazer pesquisa de jurisprudência. Algo que é de grande importância para elaborar petições, a exemplo de embargos de divergência.
.
Se não continuarem suspensos os prazos, certamente haverá prejuízo para muitos advogados e seus clientes.

Comentários encerrados em 17/11/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.