Consultor Jurídico

Defesa cibernética

STJ diz que processos estão preservados e conta com a inteligência do Exército

Presidente do STJ, ministro Humberto Martins, assina comunicado em que mantém a previsão de retorno do sistema do tribunal
Gustavo Lima

O Superior Tribunal de Justiça divulgou na noite desta quinta-feira (5/11) comunicado sobre o ataque hacker que deixou o sistema da corte fora do ar. Anunciou que os processos estão preservados e, além da Polícia Federal, conta com o auxílio da inteligência do Exército. 

O texto, assinado pelo presidente do STJ, ministro Humberto Martins, também informa as providências que já foram tomadas para restabelecimento do sistema e das investigações que vêm sendo feitas.

Por conta do ataque, a tramitação normal dos processos foi suspensa, já que o acesso ao sistema da corte está bloqueado. Até mesmo o acesso ao servidor interno de e-mails está fora do ar.

Em sua live semanal, o presidente Jair Bolsonaro disse que a PF já identificou o responsável pelo ataque ao sistema do STJ. "Tive a informação do diretor-geral da PF, o senhor Rolando Alexandre. E ele já foi elogiado pelo presidente do STJ no que ele conseguiu até agora. Já descobriram quem é o hackeador. Já descobriu, Cid [assessor do presidente]? Já descobriram? Pô, o cara hackeou e não conseguiu ficar aí duas horas escondido, pô", disse.

Enquanto o sistema está fora do ar, o STJ funciona em regime de plantão e restringe-se ao exame de matérias urgentes relacionadas na Instrução Normativa 6/2012. As petições, nesse período, devem ser encaminhadas para o e-mail protocolo.emergencial@stj.jus.br.

No comunicado, o STJ informa que conta com a atuação do Centro de Defesa Cibernética do Exército Brasileiro e que os sistemas de backup do tribunal estão preservados.

Leia abaixo o comunicado na íntegra:

Permanecem íntegras as informações referentes aos processos judiciais, contas de e-mails e contratos administrativos, mantendo-se inalterados os compromissos financeiros do tribunal, inclusive quanto à sua folha de pagamento.
O Superior Tribunal de Justiça (STJ) detectou, no dia 3 de novembro de 2020, um ataque hacker durante o período da tarde, quando ocorriam sessões de julgamento. Verificou-se que um vírus estava circulando na rede de informática do tribunal e, como medida de precaução, os links para a rede mundial de computadores foram desconectados, o que implicou no cancelamento das sessões de julgamento e impossibilitou o funcionamento dos sistemas de informática e de telefonia da Corte.
O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Humberto Martins, de imediato, solicitou providências à Polícia Federal, por meio de notícia criminis, para que procedesse às devidas investigações. A pedido do presidente do STJ, o ministro da Justiça, André Mendonça, determinou a instauração de inquérito, que já tramita perante a Polícia Federal. O STJ está fornecendo todas as informações demandadas pela PF e acompanhando, passo a passo, os procedimentos investigatórios.
Em paralelo, a equipe da STI do STJ, juntamente com empresas prestadores de serviços de tecnologia do tribunal, a exemplo da Microsoft, iniciou os procedimentos de recuperação dos ambientes dos sistemas de informática do Tribunal da Cidadania. As empresas designaram equipes especializadas para auxiliar o STJ na recuperação do ambiente tecnológico.
O Tribunal também está contando com a colaboração do Centro de Defesa Cibernética do Exército Brasileiro, para auxiliar a Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação do tribunal na restauração dos sistemas de informática.
O STJ esclarece que o ataque hacker bloqueou, temporariamente, com o uso de criptografia, o acesso aos dados, os quais, todavia, estão preservados nos sistemas de backup do tribunal. Permanecem íntegras as informações referentes aos processos judiciais, contas de e-mails e contratos administrativos, mantendo-se inalterados os compromissos financeiros do tribunal, inclusive quanto à sua folha de pagamento.
Na data de hoje (5), estão em andamento os trabalhos para reconstrução do ambiente de informática, mantida a previsão de retorno para o dia 10, nos termos da Resolução 25/2020, do Presidente do STJ.
Por fim, esclarecemos que, diariamente, serão prestadas novas informações até o completo restabelecimento dos sistemas de informática do STJ.
Ministro Humberto Martins
Presidente do STJ/CJF




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 5 de novembro de 2020, 22h10

Comentários de leitores

2 comentários

...processos estão preservados ...

Arlete Pacheco (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Já repararam que o caso André do Rap sumiu do noticiário???!!! Quem viver, verá o que vai acontecer.

Vupt Vapt

J. Cordeiro (Advogado Autônomo - Civil)

Com essa rapidez, segundo autoridades oficiais, de em duas horas ter resolvido a questão e descoberto o responsável, não seria de estranhar tratar-se de caso "preparado" ou de "auxilio" dos serviços de inteligência de órgãos estrangeiros, já conhecidos por monitorar até a presidência da república. A não ser que a segurança da Corte seja tipo meia-boca. Vamos aguardar notícias.

Comentários encerrados em 13/11/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.