Consultor Jurídico

Notícias

Democracia em vertigem

Tribunal Superior Eleitoral divulga nota para rebater declarações de Bolsonaro

Reprodução

O Tribunal Superior Eleitoral divulgou nesta terça-feira (10/3) nota rebatendo as declarações do presidente Jair Bolsonaro, para quem o primeiro turno da eleição presidencial de 2018 foi fraudada. A afirmação do chefe do Executivo foi feita ontem, em evento com apoiadores, em Miami.

Segundo o TSE, o sistema eletrônico de votação tem "absoluta confiabilidade", não tendo sido comprovado nenhum caso de fraude em mais de 20 anos de sua utilização.

Confira a íntegra da nota:

Ante a recente notícia, replicada em diversas mídias e plataformas digitais, quanto a suspeitas sobre a lisura das Eleições 2018, em particular o resultado da votação no 1º turno, o Tribunal Superior Eleitoral reafirma a absoluta confiabilidade e segurança do sistema eletrônico de votação e, sobretudo, a sua auditabilidade, a permitir a apuração de eventuais denúncias e suspeitas, sem que jamais tenha sido comprovado um caso de fraude, ao longo de mais de 20 anos de sua utilização.

Naturalmente, existindo qualquer elemento de prova que sugira algo irregular, o TSE agirá com presteza e transparência para investigar o fato. Mas cabe reiterar: o sistema brasileiro de votação e apuração é reconhecido internacionalmente por sua eficiência e confiabilidade. Embora possa ser aperfeiçoado sempre, cabe ao Tribunal zelar por sua credibilidade, que até hoje não foi abalada por nenhuma impugnação consistente, baseada em evidências.

Eleições sem fraudes foram uma conquista da democracia no Brasil, e o TSE garantirá que continue a ser assim.

Revista Consultor Jurídico, 10 de março de 2020, 17h52

Comentários de leitores

6 comentários

Teste público das urnas eletrônicas

WRezende (Advogado Autônomo - Consumidor)

Em eleições passadas, quando Toffoli era presidente do TSE, cancelou o teste público das urnas eletrônicas, algo que já vinha sendo feito há tempos. Por quê?

Responder

Nota da nódoa

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

Ao da infeliz "nota¨, superficial,, deveria o TSE ter solicitado ao MPF analisar as declarações, afinal do Presidente da República, a mais alta autoridade do país, e não sair com "nota" superficial, agravando ainda o descrédito da instituição.
Não se pode negar os problemas e denuncias nas duas últimas eleições, principalmente no Norte e no Nordeste.
A declaração é grave e certamente cabeças irão rolar, ao que tudo indica de autoridades e políticos envolvidos.
O TSE é um elefante branco, cabide de emprego e de gastança, desnecessária, senão inútil.
Tais serviços poderiam realizados por cartórios e as controvérsias pela justiça comum, federal ou estadual.
É preciso auditar e aperfeiçoar o sistema, indiscutivelmente frágil, falta transparência e garantias ao eleitor quanto ao seu voto.

Responder

r.costa

pereira07 (Prestador de Serviço)

A proxima banana do presidente , sera para os advogados.

Conversa de boteco

Marcos Arruda (Outros - Empresarial)

Analisar as declarações de um velho lunático que não tem o menor apreço pela democracia?
Bom lembrar que enquanto o energúmeno fala que teria sido eleito no primeiro turno, não fosse a ajudinha de seu capanga (vulgo Ministro da "Justiça" sic.), sequer teria sido eleito.

Melhorar cursos de direito

Rubens (Bancário)

Antes de tudo, o tal Marcos deveria aprender a estudar "direito" no seu curso de direito.

Será?

joaovitormatiola (Serventuário)

Será que tinha como botar a Angela Merkel de Presidente do Brasil?

Responder

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 18/03/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.