Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Texto tendencioso e melancólico

DAGOBERTO LOUREIRO - ADVOGADO E PROFESSOR (Advogado Autônomo)

O artigo dos advogados do ex-presidente, que, Brisola, sempre clarividente, chamava de “sapo barbudo”, é um texto rancoroso, vingativo, mesquinho e, sobretudo, oportunista.
Vem com a ideia de mostrar o ex-Juiz Moro como faccioso, a serviço de interesses impróprios e, na verdade, revela que é uma peça de defesa de um corrupto milionário, que, como o atual chefe do executivo, foi financiado para embair e lesar multidões de pessoas crédulas e mal informadas.
Como mandatário desse condenado pela Justiça, os articulistas deveriam esclarecer primeiramente se foram pagos para produzir essa declamação lamentável ou se a fizeram para tornar mais polpuda a paga por seus serviços, pois, como todo mundo sabe, dinheiro não é problema para os ladrões dos cofres públicos, no Brasil.
Obnubilados por uma oportunidade, que acharam muito adequada, atacaram tanto o ex-Juiz, que se esqueceram de mencionar que suas decisões foram referendadas por todas as instâncias, nelas incluída a Suprema Corte. Ou reconhecem que a defesa que ofereceram foi falha ou aceitam que o pronunciamento do Juiz Moro correspondeu aos ditames da Justiça.
Mas os objetivos do artigo emergem de forma límpida e incontrastável, por exemplo, quando dizem que “Moro agia como político porque iria se tornar um político.”
Ora, francamente, quem sabe o que vai acontecer no dia seguinte, ou mesmo daqui a um minuto. Quando o Juiz Moro sentenciou o ex-presidente e mesmo quando expediu mandado de prisão contra ele, cumprindo determinação da instância superior, não se via a mais remota possibilidade de Bolsonero chegar à presidência. Se lá chegou, deve-o ao corrupto que defendem, que, com sua ajuda inestimável, ao apadrinhar um poste repudiado pelo povo, permitiu sua fácil vitória.

Moro pede agora ...

Arlete Pacheco (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Sem adentrar à questão jurídica que envolveu e envolve o senhor ex-presidente, Moro para mim foi uma profunda decepção e, além disso, entendo que deu um tiro no próprio pé! Se, realmente, enquanto era ministro, viu irregularidades na atuação do senhor presidente, sua obrigação, como servidor público, era ter apresentado uma representação à Procuradoria Geral da República, detalhando pormenorizadamente as irregularidades e, concomitantemente, apresentar seu pedido de demissão no protocolo adequado, sem necessidade de convocação da imprensa. Fica então a pergunta que não quer calar: por que não o fez??? Mas, como parece que gosta de holofotes, agora está tentando se projetar fomentando atritos na rede social. Triste fim!!!

Luladrão x moro não confiável

Advocacia Trabalhista & Consultoria (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Acredito que todo o criminoso pode requerer o que quiser...kkkkkk

Anti-herói

carlos.msj (Advogado Autônomo - Civil)

Um pseudo juiz que condenou sem provas o provável presidente do país para virar um pseudo ministro da justiça para lutar contra a corrupção do país, que para tanto, se aliou com uma milícia. Esse é o anti-herói brasileiro.

Perseguição criminal nos olhos dos outros é refresco

SMJ (Procurador Federal)

A cruzada de Moro e seus apoiadores contra o principal candidato às eleições presidenciais de 2018, utilizando o Direito Penal como arma política... deu no que deu: eleição de um governo fascistoide que está destruindo o meio ambiente, causando um genocídio e ameaçando diuturnamente implantar uma ditadura no Brasil. Parabéns a Moro e a todos que apoiaram a farsa lavajatista. Agora, vejamos se conseguirão escapar ao monstro que ajudaram - decisivamente - a criar.

Comentar

Comentários encerrados em 6/06/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.