Consultor Jurídico

Voz da Experiência

35 mil assistem a debate de ex-presidentes na TV ConJur, que repercute no noticiário

Por 

Ex-presidentes participaram de seminário mediado pelo ex-ministro Nelson Jobim

A imprensa repercutiu o seminário da TV ConJur que promoveu, nesta segunda-feira (4/5), um raro encontro entre três ex-presidentes da República. Eles debateram saídas para as crises econômica, sanitária e institucional, ampliadas pela pandemia do novo coronavírus.

Participaram do evento online Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), Michel Temer (2016-2019) e Fernando Collor de Melo (1990-1992), com a mediação de Nelson Jobim, ex-presidente do STF e ex-ministro da Justiça.

Convidado, o ex-presidente José Sarney (1995-1990) explicou que sua mulher, dona Marly, adoentada, tinha consultas e exames demorados na data do evento. O ex-presidente Lula (2003-2010) declinou, e a ex-presidente Dilma Rousseff (2011-2016) não havia respondido até a última segunda. A ConJur vai propor uma nova data ao trio.

Em pouco mais de 24 horas, o seminário havia atingido a marca de 35 mil visualizações no perfil da TV ConJur no YouTube e pautou parte do noticiário nacional.

A CNN Brasil destacou o fato de os três acreditarem que o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, teria extrapolado as atribuições do Judiciário, ao barrar a nomeação de Alexandre Ramagem para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal.

O Estado de S.Paulo lembrou que os três governaram o Brasil por mais de 15 anos e enfrentaram uma série de problemas sem o grau de beligerância dos 16 meses da gestão do presidente Jair Bolsonaro.

O Globo preferiu destacar os apontamentos dos ex-presidentes em relação à reação das Forças Armadas à fala de Bolsonaro no último domingo (3), sobre "não aceitar mais a interferência de outros poderes em seu governo e ter o apoio" de Exército, Marinha e Aeronáutica. Os três foram unânimes ao destacarem o compromisso dos militares com a Constituição de 1988.

O portal da Exame escolheu o mesmo caminho e de destaque para a responsabilidade dos militares no atual contexto. O UOL, por sua vez, abordou a defesa do multilateralismo pelos ex-presidentes e a importância de manter boas relações com a China para o futuro econômico do país.

O Estado de Minas repercutiu a revelação de Michel Temer, de que ligou para Bolsonaro para aconselhá-lo a pregar o isolamento social e "desabafar" menos com a imprensa.

Por fim, o portal da rádio Jovem Pan destacou que, apesar de reprovarem o comportamento de Bolsonaro, os ex-presidentes discordaram de um novo processo de impeachment.

"A tecnologia, que é fonte do nascimento da ConJur, aliada ao momento atual, nos permitiu colocar três presidentes da República em torno de uma mesa virtual mediados por um dos mais destacados constituintes para discutir métodos de enfrentamento das diversas crises quer surgem no momento turbulento que atravessamos. Assim o site cumpre seu dever de bem informar e fomentar o bom debate com temas sempre atuais", disse o diretor de marketing digital Newton Haidar, encarregado pela produção da TV ConJur

O seminário promovido pela TV ConJur foi patrocinado pelo Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa (Iree) e pela Aliança de Advocacia Empresarial.

*texto atualizado às 20h30 desta terça (5/5)

Assista abaixo ao seminário:




Topo da página

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 5 de maio de 2020, 16h26

Comentários de leitores

2 comentários

As vozes da corrupção !!!!!!!

Gilmar Masini (Médico)

4 Professores Doutores em Corrupção e Lesa Pátria.

Voz da experiência?

Júlio M Guimarães (Bacharel - Trabalhista)

Fernando Collor renunciou ao se ver na iminência de ser cassado:
Fernando Henrique e aquele que não se sabe como, ha suspeitas, de que comprou votos no congresso para aprovar a emenda da reeleição;
Michel Temer e aquele cuja chapa com Dilma foi absolvida no TSE por excesso de provas.
Deveria o debate se chamar A voz dos sem credibilidade.
Somente essa asquerosa publicação poderia ter promovido tal feito.

Comentários encerrados em 13/05/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.