Consultor Jurídico

Inquérito 4.831

Lista de procuradores que acompanharão oitiva de Moro é comunicada à PF

Por 

Decisão desta sexta-feira (1º/5) do ministro Celso de Mello, do STF, deferiu, em termos, pedido formulado pelo procurador-geral da República, Augusto Aras. O PGR pleitou, na noite desta quinta (30/4), que fosse comunicada à Polícia Federal a relação dos procuradores do MPF que irão acompanhar a inquirição do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

Moro será ouvido pela PF em prazo de cinco dias
Dalmo Meireles/Divulgação

Ao anunciar sua demissão na semana passada (24/4), Moro disse que o presidente da República, Jair Bolsonaro, tentou interferir em investigações da Polícia Federal.

Por causa das declarações, o PGR pediu ao STF a abertura de inquérito (Inquérito 4.831) para a apuração dos fatos narrados por Moro. O pedido foi acolhido pelo ministro Celso de Mello, que, nesta quinta-feira (30/4), autorizou a inquirição de urgência de Moro, fixando o prazo de cinco dias — originalmente, eram 60. A diminuição do prazo foi um pedido de parlamentares. 

O pedido do PGR referente à comunicação à Polícia Federal dos nomes dos procuradores que acompanharão a diligência foi feito logo após Celso de Mello ter autorizado a inquirição de urgência.

Os membros do MPF que acompanharão a oitiva de Moro são: João Paulo Lordelo Guimarães Tavares, Antonio Morimoto e Hebert Reis Mesquita.

Clique aqui para ler a decisão
Inquérito 4.831

Topo da página

 é editor da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 1 de maio de 2020, 13h48

Comentários de leitores

6 comentários

A justiça é cega ?

Sergio Meliande (Administrador)

O ministro Alexandre de Moraes, suspendeu a nomeação de Alexandre Ramagem para o cargo de diretor-geral da PF, havia se dado 60 dias para que Moro fosse ouvido, mas decidiu encurtar o prazo e agora quem vai ouvir o depoimento ? O que foi indicado por Moro e amigo Alexandre de Moraes.

Going home!

O JR (Advogado Autônomo)

The party is over!

O mundo gira

olhovivo (Outros)

Um dia juiz, outro dia ministro e noutro testemunha e/ou investigado pelos ex-subalternos. E... o mundo dá voltas.

Silente

Douglas Tadeu (Advogado Assalariado - Administrativa)

A fase é de inquérito. Está ainda no âmbito da PF. Essa, por sua vez, não tem poder para obrigar qualquer pessoa a depor. Poderá o ex-ministro quedar-se silente, reservando o direito de se pronunciar só em Juízo. Perda de tempo do Procurador Geral e do Decano.

Impeachment

Luiz Carlos cwb (Suboficial da Aeronáutica)

Outro (PR) passou 28 anos como deputado "baixo clero" se elege PRESIDENTE DA REPÚBLICA e agora está a caminho do impeachment, tudo por causa da incapacidade e da língua nervosa que não não pode ver um microfone e só fala besteira, desrespeitando a tudo e a todos!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 09/05/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.