Consultor Jurídico

Comentários de leitores

10 comentários

Alguma surpresa?

Voldyriov (Outros - Trabalhista)

Parabéns aos advogados desses investigados pelas batalhas travadas e pelas que virão.

Maioria do Supremo ...

Arlete Pacheco (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Coitado do nosso amigo Kafka, deve estar se remoendo de inveja no túmulo!!! Afinal, se achava imbatível com seu O Processo, mas eis que surge um rival kkkkkk. Em compensação, George Orwell deve estar rindo à toa e dizendo: Eu não falei?" Na minha modesta opinião de cidadã contribuinte, continuo entendendo que RESPEITO É UMA CONQUISTA, JAMAIS UMA IMPOSIÇÃO!!!

Respeito é imposição legal

Adir Campos (Advogado Autônomo - Administrativa)

Negativo, Dra. Arlete. Perante o ordenamento jurídico, respeito é, sim, uma imposição. Mesmo contra a vontade, todos são obrigados a respeitar as instituições e seus membros. Não existe liberdade de ofender.

Respeito, ora respeito.

Antonio Carlos Kersting Roque (Professor Universitário - Administrativa)

A senhora está correta.
Embora haja a existência legal do respeito as instituições públicas, o respeito aos integrantes deve ser conquistado.
Não é pq fulano é do STF, STJ, o raio que o parta, que, frente à decisões estapafúrdias, ofensivas às leis, seja digno de respeito.
Ademais, o caso "sub examine", me faz pensar que tenho que voltar à escola, conhecer esse novel direito.
Os puxa sacos, perdoe o termo, continuam aí aplaudindo e sabemos bem quem são do que buscam.
Meu respeito, Dra.

Hipocrisia

Adir Campos (Advogado Autônomo - Administrativa)

Interessante como a hipocrisia, os "dois pesos e duas medidas", guiam a forma de pensar de muitos eleitores de Bolsonaro. Até pouco tempo, aplaudiam as ilegalidades de Sergio Moro, tal como aplaudem os atos de violência policial, afinal, contra o crime, segundo eles, para combater o crime é preciso mão pesada.
Agora que se viu que o governo que elegeram não é exatamente nenhum baluarte da moral e dos bons costumes, invocam as rígidas regras formais, as mesmas que desprezavam contra Lula, para dizer que o STF está sendo político e que os crimes de fake news e de ameaça de morte contra os 11 ministros não poderiam ser investigadas pela Corte. Como o PGR não quer apurar nada, então tudo que tem ser engavetado.
Agora, sim, o devido processo legal e suas rígidas formalidades é mais importante que a gravidade das ofensas que estão praticando parte de apoiadores do presidente.

Fake News

VGontijo (Economista)

No princípio fui contra. Concordei plenamente com Dodge. O RI do STF abre oportunidade só para irregularidades cometidas "na" Corte. Entretanto, percebeu-se que crimes estavam sendo planejados para serem cometidos em seu "território". Por precaução e por "vacatio" de atitudes da PGR, passei a apoiar plenamente o Supremo. Prevenir é sempre melhor.

Juiz de Garantias.

Vercingetórix (Advogado Autônomo - Civil)

Estou ansioso para o voto dos ministros nas ADIs que discutem o Juiz de Garantias.

Coisas para se pensar...

JOSIAS SOARES - Especialista em Direito Público (Outros)

Assisto a tudo isso com duas preocupações: 1) uns poucos tem a ousadia do ataque público e direto, mas recebem a complacência silenciosa de uma grande massa (são muitos os burburinhos)... e isso deve ser reflexo d'alguma erosão da respeitabilidade que se tinha pelo Poder Judiciário, o que deveria nos conduzir à reflexão do "por que será?"; e, por fim, 2) fake news se combatem com "trust news"... afinal, a população tem amplo acesso à informação com o advento da internet.

Resultado do plantio

José Ângelo Junqueira Scopel (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

O STF está colhendo o que plantou. Não é com inquéritos inconstitucionais que a Corte se protegerá do julgo publico, mas, sim, com julgamentos probos e apolíticos.

Novo lema jurídico

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

Agora o no principio fundamental do Brasil é "os fins justificam os meios". A única coisa que se pode pensar, é que o STF tem ciência que não há crime, que em outra esfera, afastada da tensão que o STF vem sofrendo o fato seria considerado atípico devendo ser julgado na esfera cível.

Comentar

Comentários encerrados em 25/06/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.