Consultor Jurídico

Comentários de leitores

11 comentários

O PL 2630/20 é que é "Fake News"

Rejane G. Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Louvando o inteiro teor do artigo do Dr. Lenio Streck, na minha singela opinião, o nobre articulista esqueceu de abordar relevante aspecto da questão "Fake News". Além da necessidade de aferir uma suposta ocorrência de "fake news" através do devido processo legal, com ampla defesa e contraditório, é imperioso debater o que vem a ser "Fake News" profundamente e, sobretudo, aplicar o conceito a que se chegar também à mídia tradicional (televisão, jornal, revista, rádio, etc.). Na internet, ficam registradas as visualizações de determinada postagem. Como aferir quantas pessoas viram uma notícia falsa na televisão, principalmente se a emissora transmitir em rede nacional ?
"Fake News" não acontece só na internet.
Já que tocamos nesse assunto, vamos fundo.

Comentário

Afonso de Souza (Outros)

Perfeitas observações, Doutora Rejane.

Sensacional

Emília.adv (Advogado Autônomo - Civil)

Desde o primeiro artigo do Professor Lenio que li aqui, fiquei muito decepcionada, por causa do direcionamento ideológico, que em nada contribui para o conhecimento e o enriquecimento da Ciência Jurídica, mas este artigo foi magnífico. Parabéns.

Excelente!

Samuel Pavan (Advogado Autônomo)

Perfeito artigo.

Como pode o mesmo jurista ser autor desta obra-prima e subscritor daquela aberração jurídico-política que é aquela denúncia apresentada na Comissão de Ética Pública da Presidência contra o ex-ministro Moro por "revelar informações sigilosas"?! Paixão/ódio ideológico explica?

Don`t throw the baby out with the bath water

Mozart Bessa (Advogado Assalariado - Tributária)

Professor, como sempre muito sagaz!

Segue um link que complementa o seu texto.

E lembrem-se: NÃO JOGUEM O BEBÊ FORA JUNTO COM A ÁGUA DO BANHO.

https://www.sandromagaldi.com.br/nao-jogue-o-bebe-fora-junto-com-a-agua-do-banho/

Concordo plenamente.

Vercingetórix (Advogado Autônomo - Civil)

Não se combate idéias com censura (ainda que "alegadamente" falsas). Idéias se combatem com outras idéias, na "arena" do mercado de idéias.

Acho extremamente preocupante o posicionamento do STF no inquérito inconstitucional. Parece que parte dos ministros concordaria com esse Projeto de Lei (ex: censura à Revista Crusoé no ano passado).

Afinal, quem vigiará o vigia?

Muito interessante!

Mateus Ranieri (Advogado Assalariado - Administrativa)

Há relevância em não censurar o idiota das redes, afinal, qual melhor forma de refutá-lo se não em público?
Em relação ao comentário do colega, conhecendo um pouco do que o professor Streck prega, não acho que ele veja discordância como discurso de ódio, pelo contrário, acho que se alimenta da discordância bem fundamentada. A divergência em discussões filosóficas e acadêmicas é essencial para o aperfeiçoamento das ideias.

Perfeito!

Guilherme - Tributário (Advogado Autônomo - Tributária)

Sem melhores palavras, concordo plenamente com a Radgiv. Como todo veículo de comunicação, a Internet tem defeitos e qualidades. Não se pode, à guisa de sanar os defeitos, destruir também as qualidades. DELENDA INTERNET? Não...

Marco da Internet

Luiz Carlos Portela Pedroso (Escrivão)

Excelente artigo. Qto ao Estado: já que o LEG e JUD ' não ' nos defendem, devemos, então, ficar sempre vigilantes. Pois o Estado, sempre, tende a ser ' onipotente '.

Muito bom!

José Ogaith (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Queria indicar também um vídeo curto que bem explica o principal problema da propositura, referente a quem faria o escrutínio do que é ou não publicável; indico: https://padrepauloricardo.org/episodios/quem-controla-a-internet.

Sensacional

Radgiv Consultoria Previdenciária (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Mais uma vez, sensacional. Qualquer crítica ao artigo do mestre será encarado como discurso do ódio. O ilustre professor deveria ser consultado em quase metade ou mais da produção legislativa desse país. Obrigado pelo artigo!

Comentar

Comentários encerrados em 12/06/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.