Consultor Jurídico

30 dias

Após ser acusado de violência doméstica, presidente da OAB-MT pede licença

A seccional do Mato Grosso da Ordem dos Advogados do Brasil divulgou que a vice-presidente Gisela Cardoso assume a partir desta segunda-feira (1º/6) a presidência da entidade. Ela vai substituir o atual presidente, Leonardo Campos, pelo período de 30 dias. Campos pediu licença para tratar de assuntos pessoais.

Presidente da OAB-MT foi acusado de violência doméstica pela mulher
Reprodução

O presidente da OAB-MT foi detido na madrugada da última quarta-feira (28/5), acusado de violência doméstica pela sua mulher, a também advogada Luciana Póvoas. Ele foi liberado horas depois e, por meio de nota, destacou que não houve agressão, o que foi admitido pela esposa e está registrado em boletim de ocorrência. Segundo ele, os dois discutiram.

Campos também afirmou que vai entregar a documentação à OAB-MT para que os fatos sejam apurados. Ele está proibido de se aproximar da mulher, de familiares e das testemunhas de sua companheira. Ele também não deverá manter contato com eles e nem frequentar a mesma casa ou local de trabalho dos envolvidos. Leia abaixo o comunicado da OAB-MT:

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT) informa que a partir desta segunda-feira (01.06) a vice-presidente Gisela Cardoso assume interinamente a presidência da instituição, substituindo o advogado Leonardo Campos, que se licencia por 30 dias para tratar de assuntos pessoais.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 1 de junho de 2020, 16h17

Comentários de leitores

3 comentários

E ainda afirmam que caça-níqueis da OAB protege o cidadão?

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos, escritor, jurista e abolicionista contemporâneo. A Carta Magna Brasileira foi bastante clara ao determinar em seu art. 170 que a ordem econômica está fundada no trabalho humano e na livre iniciativa e tem por finalidade assegurar a todos uma existência digna, conforme os ditames da justiça social, observando, entre outros, o princípio da busca pelo pleno emprego. Ao declinar sobre a Ordem Social, (art. 193) a CF estabeleceu que a ordem social tem como base o primado do trabalho e como objetivo o bem-estar e a justiça sociais. Parágrafo único. É assegurado a todos o livre exercício de qualquer atividade econômica, independentemente de autorização de órgãos públicos, salvo nos casos previstos em lei. Art. 8º É livre a associação profissional ou sindical, observado o seguinte
(...)V - ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado a sindicato. A propósito, exame da OAB por si só não qualifica, se assim fosse não teríamos advogados na criminalidade. OAB tem que se limitar a fiscalizar os seus inscritos e puni-los exemplarmente, fato que não está acontecendo veja o que relatou a reportagem de capa da Revista ÉPOCA Edição nº 297 “O crime organizado já tem diploma e anel de doutor. Com livre acesso às prisões, advogados viram braço executivo das maiores quadrilhas do país. E ainda afirma que essa excrescência protege o cidadão?
O art. 133 da CF (o adv. é indispensável à justiça)
foi outro grande jabuti inserido na CF, pasme, pelo então Deputado Constituinte Michel Temer, ex- Presidente da República, diga-se de passagem, um dos Presidentes da República de maior prestígio e popularidade da história do Brasil. Será esse o argumento que OAB utilizou junto ao Egrégio STF, para não prestar contas ao Egrégio TCU?.
..

E ainda afirmam que caça-níqueis da OAB protege o cidadão?

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos, escritor e jurista. Um dos temas mais debatidos nas redes sociais na atualidade é a “Fake News” . Eis aqui uma revelação: “Fakes News” existem em nosso país, desde da época da escravidão, onde a elite não aceitava o fim da escravidão, e assim como hoje a OAB, prega o medo, o terror e mentira com a “Fake News”, mais lucrativa do país, tipo “ fim do exame da OAB, será um desastre para advocacia? enriquecendo às custas do desemprego dos seu cativos. Assim como no passado a elite predatória não aceitava o fim da escravidão se utilizando de “Fake News” ou seja: dos mais rasos e nefastos argumentos, tipo: “Acabar com a escravidão iria ocasionar um grande derramamento de sangue e outras perversidades. Sem a escravidão, os ex-escravos ficariam fora de controle, roubando, estuprando, matando e provocando o caos generalizado” hoje essa mesma elite não aceita o fim da escravidão moderna da OAB, o fim do caça – níquei$ exame a OAB, plantando nas revistas e nos jornais nacionais (vale quanto pesa), manchetes fantasiosas tais como: Exame da OAB protege o cidadão? O fim do exame da OAB será um desastre para advocacia? Qualidade dos advogados despencaria sem exame da OAB? “abertura de novos cursos de Direito Brasil afora é uma ameaça ao futuro do país”? Quem diria essa última frase, é do ex-Presidente da OAB, constante do seu Artigo: “No Dia da Advocacia, Brasil precisa discutir o estado do ensino jurídico” publicada do no Conjur de 11.08.2018.Senhores mercenários, parem de veicular “Fake News”, parem de pregar o medo o terror e a mentiria, principais armas dos tiranos. Não podemos brincar com o desemprego. Vamos criar alternativas humanitárias, visando a inserção no mercado de trabalho, de cerca de 400 mil cativos da OAB jogados ao banimento

ÇEI

O IDEÓLOGO (Cartorário)

O presidente da OAB-MT apenas discute com a mulher, mas tem contra si uma ordem de "distância".
Sei, çei, muito bem, que houve, somente, uma simples discussão.
Alegação para "boi dormir".

Comentários encerrados em 09/06/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.