Consultor Jurídico

Luto no Direito

Morre o desembargador aposentado Ranulfo Melo Freire, aos 96

Ranulfo de Mello Freire impactou muitos com sua visão humanista do Direito Penal 
Arquivo Pessoal

Um grande juiz, jurista e um ser humano genuinamente preocupado com o povo brasileiro e com os direitos sociais. É a definição da desembargadora aposentada Kenarik Boujikian sobre Ranulfo de Mello Freire, 96, que morreu na manhã desta quinta-feira (30/7).

Desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo, Melo Freire era encarado pela comunidade jurídica como um dos grandes juízes do país.

Foi advogado e juiz de Direito no estado de São Paulo. Exerceu a advocacia a partir de 1952 e, em 1955, entrou para a magistratura. Passou a compor o Tribunal de Alçada Criminal em 1979, do qual foi vice-presidente de 1º de janeiro de 1982 a 31 de março de 1982 e presidente de 31 de março de 1982 a fevereiro de 1983. Se aposentou como desembargador do TJ-SP.

Após o fim de sua passagem pela magistratura, se reinscreveu na Ordem dos Advogados do Brasil e passou a integrar a Comissão de Direitos Humanos da seccional paulista da OAB.

Foi professor de Direito, membro fundador do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCrim) e da Associação Juízes para a Democracia. "O Ranulfo recebeu uma homenagem da AJD quando a entidade completou 20 anos. Não homenageamos associados, mas abrimos uma exceção porque ele era a imagem da entidade", lembra a desembargadora.

Generoso, era conhecido por sua preocupação em ensinar os mais jovens e a espalhar uma visão humanista do Direito Penal. "Foi muito importante para minha formação. Indicava livros e tinha uma visão muito sensível de Direito Penal. Me ensinou como tratar o ser humano e como o Direito Penal pode ser duro com as pessoas", revelou o advogado Rafael Lira que, ao lado dos advogados Bruno Salles Ribeiro e Fernanda Vilares, disse que a autoridade do jurista "era transmitida pela humildade, não pelo grito". "Exemplo maior daquele tipo de liderança mais pura, que inspira pelo amor, não pela dor."




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 30 de julho de 2020, 20h24

Comentários de leitores

1 comentário

Insubstituível

Élison Vieira (Advogado Associado a Escritório - Criminal)

Trata-se de um termo forte, mas não há outro para definir a pessoa do Desembargador Ranulfo Melo Freire. Com bom mineiro, pois nasceu em Alpinópolis (antiga Ventania), não esqueceu suas origens. Exemplo de virtudes. Só plantou o bem.

Comentários encerrados em 07/08/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.