Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

Assino embaixo

Rejane G. Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Concordo com o inteiro teor do comentário do Sr. Magnaldo.

Excelente juíza

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

A Juíza Márcia Blanes teve atuação destacada contra o exercício atécnico de advogados no processo e sempre procurou fazer Justiça.
Infelizmente, os interesses da OAB prevaleceram.

Será?

Gustavo B. Fávaro (Advogado Autônomo - Tributária)

Lutar "contra o exercício atécnico" e "fazer Justiça" não justifica as diversas ausências no Fórum, não atendimento às prerrogativas dos advogados e falta de decoro com estes. Lembrando que a mesma MM. Juíza respondeu a 35 representações em 18 anos de carreira, "a maior parte delas relacionadas a relatos de tratamento descortês".

besteira

Adil1230 (Advogado Assalariado - Civil)

Só pode ser parente pra falar uma besteira dessa rsrsrsrs

Ônus da Magistratura

magnaldo (Advogado Autônomo)

As responsabilidades e atribuições do Magistrado, em qualquer grau, são extraordinárias. Julgar uma ação, sabendo que a parte perdedora sempre irá contraditar sua decisão, submete o Magistrado a um nível de stress elevado, ainda que ele tenha a convicção de estar fazendo o melhor. Acredito que seria adequada a existência, em todas as Cortes, do funcionamento de um serviço de psicologia com sessões de terapia em grupo, onde, semanalmente, Magistrados tivessem a oportunidade de expor seus problemas e discutir situações que acirram os níveis de stress.

CNJ mantém remoção compulsória de magisttada do TJ de SP P

vera mattos (Advogado Autônomo - Civil)

Não creio que decidam preocupados com eventuais recursos. Decidem, pronto! E, passam a bola. Página virada. Precisaria de terapia, sim, para lembrar a alguns que não são deuses, nem tutores de Deus.

Comentar

Comentários encerrados em 6/08/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.