Consultor Jurídico

"Vida loka"

Motociclistas recebem quase 80% das indenizações pagas pelo Dpvat

Motociclistas lideraram as indenizações pagas no primeiro semestre deste ano pelo seguro Dpvat, que cobre danos pessoais em acidentes por veículos automotores em vias terrestres. Segundo a Seguradora Líder, de janeiro a junho foram pagas 125.395 indenizações a vítimas de acidentes envolvendo motocicletas, o que representa 79% dos 158.728 benefícios concedidos nesse período. 

Tânia Rêgo/Agência Brasil

Do total de indenizações pagas aos motociclistas, 90.581 beneficiaram pessoas que ficaram com algum tipo de invalidez permanente, 26.686 receberam o reembolso de despesas médicas e suplementares após os acidentes e 8.128 foram destinadas a famílias indenizadas por morte.

O Dpvat pode ser destinado a qualquer cidadão acidentado em território nacional, seja motorista, passageiro ou pedestre, e oferece três tipos de cobertura: morte (valor de R$ 13,5 mil), invalidez permanente (de R$ 135 a R$ 13,5 mil) e reembolso de despesas médicas e suplementares (até R$ 2,7 mil). A proteção é assegurada por um período de até três anos após o acidente.

Durante a pandemia de Covid-19, a Seguradora Líder está disponibilizando canais para que as vítimas deem entrada no seguro sem sair de casa, como a central de atendimento telefônica (4020-1596, para capitais e regiões metropolitanas, e 0800 022 12 04, para outras regiões), além do aplicativo Seguro Dpvat disponível para download na Apple Store ou Google Play. 

Criado em 1974, o Dpvat é um seguro obrigatório, pago anualmente pelos proprietários de veículos (carros e motocicletas) no Brasil, juntamente com a primeira parcela ou na cota única do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Se o veículo for isento do IPVA, o seguro Dpvat deve ser pago junto com o licenciamento anual ou com o serviço de emplacamento. Com informações da Agência Brasil.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 27 de julho de 2020, 21h41

Comentários de leitores

2 comentários

Dpvat x motoqueiros

Eliel Karkles (Advogado Autônomo - Civil)

De 100% dos acidente, 75% envolvem moto, apesar de as motos representarem apenas 20% da frota nacional. Isso demonstra a irresponsabilidade sobre duas rodas. A moto não é perigosa, perigoso é o que o motoqueiro faz sobre ela. Isso sim é perigoso. E o mais danoso, não são os acidentes, mas a invalidez permanente de um motoqueiro, em idade jovem, e que ficará dependente da família por muitos anos. Isso é triste, cruel, pena que muitos não pensam.

Mais que um acidente

Ardenghi (Administrador)

Sou médico perito. É assustador a quantidade de motoqueiros acidentados e sequelados. Há os que relatam 2, 3, 4 acidentes! São jovens que tem sua saúde e capacidade ceifada pela imprudência.

Comentários encerrados em 04/08/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.