Consultor Jurídico

Compra de pistolas

Ministro da Justiça revoga exigência de identificação de armas da Força Nacional

Armamento utilizado pela Força Nacional tem itens de identificação retirados

O ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, decidiu retirar trechos de portaria do ministério que exigia que armas dos agentes da Força Nacional tivessem elementos de identificação sigilosa.

A portaria que teve trechos revogados estabelece os critérios para a compra de pistolas semiautomáticas de calibres 9x19 mm e 40 S&W para a força de segurança.

Os elementos de segurança vetados permitiriam, por exemplo, rastrear a origem de armas que tiveram a numeração raspada. Um deles é um chip que permite a identificação da origem dos armamentos por meio de rádio-frequência.

A exigência dos itens de identificação sigilosa nas armas constava na portaria publicada em 13 de julho deste no Diário Oficial da União. Na quarta-feira (22/7), uma nova portaria revogou os dois itens de identificação sigilosa que estavam previstos.

A decisão do ministro foi questionada pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que solicitou explicações de forma oficial ao Ministério da Justiça.

Clique aqui para ler a portaria

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 24 de julho de 2020, 21h38

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 01/08/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.