Consultor Jurídico

"Auxílio água"

TJ-SP instaura processo administrativo contra juiz que pegava água do fórum

Por 

"Em todos esses anos de Órgão Especial, temos muitas surpresas ruins com infrações cometidas por magistrados. Mas essa seria cômica se não fosse trágica". Essa foi a reação do desembargador Ferraz de Arruda, do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo, diante do caso de um juiz da capital acusado de levar garrafas de água do fórum para sua casa.

Por unanimidade, o colegiado rejeitou a defesa prévia do magistrado e instaurou um processo administrativo disciplinar contra ele, nos termos do voto do corregedor-geral da Justiça, desembargador Ricardo Anafe. Consta dos autos que o juiz, todas as vezes que ia ao fórum, enchia uma mochila com garrafas da água. Segundo apuração da Corregedoria, isso fez com que o consumo de água do fórum passasse a ser de 240 garrafas por mês, totalizando 6,5 litros por dia. 

"As garrafas de água ficavam na copa, ele passava na copa e retirava as garrafas. O tribunal não tem auxílio água. Foi um verdadeiro auxílio água estabelecido pelo magistrado", afirmou Anafe. Além disso, o corregedor disse que o juiz não conferia decisões, delegava essa tarefa aos auxiliares, raramente comparecia ao fórum às segundas-feiras e ainda proferia palavrões contra colegas de trabalho.

Anafe concluiu que a conduta do magistrado fere dispositivos da Lei Orgânica da Magistratura. "Onde já se viu levar garrafas de água para casa? Isso chega ao ponto do ridículo, aumentando os custos do tribunal", completou o desembargador Ferraz de Arruda. 

Topo da página

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 7 de julho de 2020, 12h24

Comentários de leitores

8 comentários

Pobreza

PAULO FRANCIS (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Pobreza moral.

Hipocrisia

Melo Annibal (Advogado Autônomo - Civil)

Comem lagosta e tomam vinhos caríssimos à custa do contribuinte e querem punir um juiz porque furtou alguns litros de água!! O crime é o mesmo nobres Desembargadores!! Punam-se a si mesmos se querem moralizar o Judiciário!

Ponderação sempre

Ana Paula Custódio (Assessor Técnico)

Lendo os comentários aqui exarados percebo o quanto é fácil apontar o dedo, julgar e condenar alguém com base somente em uma matéria jornalística. Para a mídia pouco importa quem esteja no foco da notícia ou se os fatos narrados aconteceram como na forma descrita. Muitos meios de comunicação não se preocupam com a veracidade de seus conteúdos publicados e se esquecem de seu principal propósito, que é de informar e auxiliar na formação de cidadãos conscientes e capazes de formarem suas próprias opiniões com imparcialidade. É justamente o que ocorreu aqui nesta matéria: julgamentos precipitados e comentários desmedidos. Trabalhei com Dr. Marcelo por muitos anos e sei que ele jamais seria capaz de algo assim. Ele é aquele tipo de Juiz que prefere a companhia de seus funcionários do que do restante dos juízes, o que, por vezes, gerou algumas animosidades com os colegas de toga. Como disse um outro colega de trabalho, jamais ouvimos alguém dizer que Dr. Marcelo tenha agido de maneira incompatível com sua carreira, diga-se de passagem, almejada por muitos, mas alcançada por poucos. Talvez seu erro tenha sido tratar seus subordinados com respeito, dignidade e humanidade, não sendo demais supor que a acusação injusta se deva ao fato dele dividir a "água dos magistrados" com seus funcionários. Espero que quando a verdade vier a tona, vocês também publiquem o desfecho.

Não quero crer que seja verdade!

Francisco Ivonei de Araujo Rocha (Advogado Assalariado - Criminal)

Li com atenção alguns cometários, porém, suas afirmações me parece ser as mais seguras, vez você afirmar que conhece o magistrado em questão. Também não acredito ou quero acreditar que seja verdade que um magistrado seja capaz de tamanha bisonhice, (termo usado na caserna aos militares que faz besteira), pois, seria uma verdadeira besteira se tiver agido assim. Também não sou credor das matérias jornalistica brasileira, vez que todos os canais jornalísticos ora são governo outrora esquerdista e outros apenas não são confiáveis por não transmitir a verdade. Porém, fico no aguardo da verdadeira história ou estória...

Gostei

Castro 71 Silva (Advogado Autônomo - Civil)

Achei super correta sua observação, tem muitos magistrados que se acham semi deuses, o que é um equívoco, vez que estão onde estão para servir a sociedade e quando vêem um colega de toga tratando seus colaboradores como iguais torcem o nariz.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 15/07/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.