Consultor Jurídico

Corrupção passiva

Cabral recebe nova condenação e penas já somam 280 anos

Por 

O ex-governador Sérgio Cabral foi condenado a 14 anos e 7 meses de prisão por corrupção passiva em ação que envolve recebimento de propinas em contratos da área da saúde estadual. A sentença foi proferida pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal do Rio. 

Bretas condena Sérgio Cabral a 14 anos e 7  meses de prisão por corrupção passiva
Alex Ferro/Rio 2016

Com a nova sentença, Cabral — que está preso desde 2016 — soma 280 anos de penas impostas.

O emedebista foi condenado com outros réus em processo que envolve R$ 16 milhões em propinas em compras superfaturadas e licitações direcionadas de produtos hospitalares.

“Principal idealizador dos esquemas ilícitos perscrutados nestes autos, o condenado Sérgio Cabral foi o grande fiador das práticas corruptas imputadas. Em razão da autoridade conquistada pelo apoio de vários milhões de votos que lhe foram confiados, ofereceu vantagens em troca de dinheiro. Vendeu a empresários a confiança que lhe foi depositada pelos cidadãos do Estado do Rio de Janeiro, razão pela qual a sua culpabilidade, maior do que a de um corrupto qualquer, é extrema”, escreveu o juiz na sentença.

Além de Cabral, também foram condenados o ex-secretário de Saúde Sérgio Côrtes (15 anos de reclusão), o ex-subsecretário de Saúde Cesar Romero, (18 anos de prisão), os empresários Miguel Iskin, (22 anos e 9 meses), Gustavo Estellitaa (19 anos e 6 meses) e Luiz Carlos Bezerra, assessor de Cabral, a 4 anos e 1 mês.

Clique aqui para ler a sentença
0503870-31.2017.4.02.5101

Topo da página

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 29 de janeiro de 2020, 22h07

Comentários de leitores

2 comentários

Condenações

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Com tanto condenação, o Cabral vai descobrir o inferno.

E aonde está o Aécio?

dinarte22 (Advogado Assalariado - Civil)

Sumiram com o Aécio Neves. Será que chega perto do ex-governador do Rio? Ou é pior?

Comentários encerrados em 06/02/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.