Consultor Jurídico

Notícias

Pedidos Atrasados

Governo contratará militares para dar segurança a perícias médicas no INSS

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, anunciou nesta terça-feira (14/1) que o governo irá contratar temporariamente até 7 mil militares da reserva para reforçar o atendimento nas agências do INSS e reduzir o estoque de pedidos de benefícios atrasados.

Segundo Marinho, estoque de pedidos de benefícios atrasados não será zerado
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Para diminuir atrasos, o governo dará prioridade, sob segurança dos militares, às perícias médicas dos cerca de 1,5 mil funcionários do INSS afastados por problemas de saúde.

De acordo com a proposta, a contratação será voluntária, sem convocação. Eles serão treinados entre fevereiro e março, devendo começar a trabalhar nos postos em abril, recebendo um adicional de 30% na reserva remunerada. 

A medida, segundo Marinho, custará R$ 14,5 milhões por mês. No entanto, afirma, o valor deve ser compensado pela diminuição da correção monetária paga nos benefícios concedidos, além do prazo máximo de 45 dias depois do pedido. 

“O estoque não será zerado, tem 988 mil pedidos entrando todo mês. Mas pretendemos, todo mês, ter número de requerimento da mesma quantidade que temos capacidade de processar”, disse Marinho.

Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro também havia confirmado o plano de contratação. “Servidores ou militares da reserva, pagando 30% a mais do que ele ganha, para a gente romper essa fila. Aumentou muito [a fila] por ocasião da tramitação da reforma da Previdência”, afirmou Bolsonaro. 

Marinho anunciou que será publicado, até o fim da semana, um decreto do presidente com as medidas. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 14 de janeiro de 2020, 21h16

Comentários de leitores

2 comentários

Destruição do Estado de Direito

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Lamentável. Quando assumiu o Governo em 2018 Bolsonaro tomou conhecimento de que havia baixa produtividade entre os servidores do INSS, altos vencimentos, e falta de servidores, gerando atraso no processamento dos benefícios. Dolosamente, não adotou nenhuma providência em face ao problema. Aguardou até que houvesse um grande represamento para com base na justificativa de resolver a questão (criada pelo próprio Governo, por omissão) dar emprego fácil e sem concurso a seus amigos militares. Tudo isso, com a total complacência do submisso povo brasileiro, muito embora somente esse desvio do Governo (entre centenas ou até milhares de outros) seja motivo de impeachment.

Responder

Braço forte, mão bôba !!!

Bartolomeu Dias de Araujo (Administrador)

Com 12,8 milhões de desempregados, e 63 milhões endividados, o Bolsonaro resolver ajudar novamente os já folgados das Forças Armadas, agora da Reserva Remunerada, mesmo na reserva, ganham, e agora terão uma ajudinha, enquanto isto o contribuinte que paga, inclusive salários, auxílios e penduricalhos do Clã Bolsonaro, vão continuar a serem escravos dos banqueiros. Para que serve a Lei da Terceirização???, para que serve os Contratos pela CLT???, sabemos que um trabalhador CLTista, é infinitamente mais barato que o servidor público estatal. Número de brasileiros com dívidas atrasadas aumenta em 2 milhões e bate novo recorde, revela Serasa Experian, Em novo recorde histórico, o número de brasileiros inadimplentes chegou a 63,2 milhões em abril de 2019. Isto significa que 40,4% da população adulta do país está com dívidas atrasadas e negativadas. Desemprego cai, mas renda média diminui e crescem trabalhadores informais, IBGE diz que 12,8 milhões de brasileiros seguem desempregados e 11,5 trabalhadores não têm carteira assinada

Responder

Comentários encerrados em 22/01/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.