Consultor Jurídico

Notícias

Sistema SEEU

Execução unificada chega ao Tribunal de Justiça de São Paulo em março

O Sistema Eletrônico de Execução Unificado (SEEU), que já está em 30 tribunais do país e possui mais de um milhão de processos em tramitação, chegará em São Paulo no início de março. Segundo acordo fechado entre o Conselho Nacional de Justiça e o Tribunal de Justiça de São Paulo, o processo de implantação piloto começará com a digitalização de todos os processos de execução penal da unidade prisional de Casa Branca, e envolverá capacitação de magistrados, servidores e outros atores do sistema de Justiça e a implantação dos processos. São Paulo é o estado com o maior número de processos de execução penal do país, com cerca de 600 mil.

TJ-SP: início da implantação do SEEU será em março de 2020

Entre março e dezembro de 2019, o número de processos implantados no SEEU passou de cerca de 430 mil para mais de um milhão processos. A expansão do sistema tem sido prioridade da gestão do ministro Dias Toffoli para garantir mais eficiência na prestação de Justiça e um dos principais eixos de ação do "Justiça Presente", parceria entre o CNJ e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), para superar problemas estruturais no sistema prisional e socioeducativo.

O Conselheiro Supervisor do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas (DMF/CNJ), Mário Guerreiro, exaltou o alinhamento com o TJ-SP. "A chegada em São Paulo neste momento é estratégica. Vamos apresentar à corte estadual de São Paulo, a maior da América Latina, uma metodologia de trabalho que se qualificou pela implantação em outros Tribunais no Brasil. Ademais, quando se pensa no cenário da execução penal, subjacente o 'estado de coisas inconstitucional' afirmado pelo Supremo Tribunal Federal, admitir a chegada dos processos de São Paulo a uma plataforma que é única em todo o país é motivo para ser celebrada, eis que encerra uma integração inédita e sem precedentes", afirma.

Início
A chegada a São Paulo envolverá a digitalização de processos selecionados pela Corregedoria Geral de Justiça e que será executada junto ao Departamento de Execuções Criminais da Capital (DEECRIM), exclusivamente alcançando os que se encontram executando o cumprimento de pena privativa de liberdade na Penitenciária Joaquim de Sylos Cintra, em Casa Branca, interior do Estado. A digitalização e a implantação no sistema de todos os processos físicos ao longo dessa primeira etapa será realizada por equipe do CNJ/PNUD, e se estenderá até 30 de março, ocasião em que todas as execuções penais estarão habilitadas para tramitação em meio digital e eletrônico.

Em agosto de 2019, comitiva do TJ-SP viajou a Pernambuco, a convite do CNJ, para acompanhar o processo de implantação do SEEU no TJ-PE. Na oportunidade, desembargadores, magistrados e servidores da Corte paulista conheceram de perto o a dinâmica desenvolvida pelo CNJ para as ações, que envolvem planejamento conjunto e adaptações às realidades locais.

Santa Catarina
Santa Catarina iniciou nesta segunda-feira (17/2) projeto-piloto de implantação do SEEU. Neste primeiro momento, serão implantados todos os processos de execução penal em curso pela Vara Militar do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC). O objetivo, assim como em São Paulo, é permitir que atores locais conheçam e se familiarizem com o sistema eletrônico que já está em operação em 28 Tribunais de todo o país. Em dezembro de 2019, o TJ-SC participou de outra missão do CNJ, desta vez com destino ao Ceará. Juntamente ao TJ-RJ e TJ-AM, magistrados e servidores acompanharam a migração automatizada de dados entre e-SAJ e SEEU, ferramenta que agiliza o processo, além de reuniões sobre a organização da implantação (procedimentos, atos normativos e tamanho da equipe). Com informações da Agência CNJ de Notícias.

Revista Consultor Jurídico, 23 de fevereiro de 2020, 18h05

Comentários de leitores

0 comentários

A seção de comentários deste texto foi encerrada.