Consultor Jurídico

Notícias

Decisão do TST é cassada

Caso que envolve servidor público e Estado é de competência da justiça comum

Compete à Justiça comum julgar as causas entre o poder público e servidor a ele vinculado por relação estatutária ou de caráter jurídico-administrativo.

Decisão do TST envolvendo servidora pública e estado foi cassado, pois, para STF, competência é da justiça comum
ASCS - TST

Com esse entendimento, o ministro Alexandre de Moraes cassou acórdão do Tribunal Superior do Trabalho e determinou que a Justiça comum julgue pedido de FGTS de servidor contratado sem concurso pelo município de João Pessoa.

Na ação trabalhista, a reclamante afirmou que foi admitida em 1989 como empregada, sob o regime celetista. Depois, porém, houve a edição de lei municipal que alterou o regime para estatutário, quando ela deixou de receber o FGTS.

O Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região (PB) chegou a reconhecer a falta de competência da Justiça do Trabalho para analisar a questão. Porém, o TST reformou o acórdão e condenou o município a pagar o FGTS por entender que ela permaneceu submetida ao regime celetista mesmo após a alteração de regime jurídico pela lei municipal.

O município então ingressou com reclamação no Supremo, afirmando que o TST afrontou decisões do STF, como a da ADI 3.395, na qual o Plenário da corte reconheceu a incompetência da Justiça do Trabalho para as causas entre o Poder Público e seus servidores estatutários. O município foi representado pelo procurador Aderaldo Cavalcanti da Silva Júnior.

Ao cassar o acórdão do TST, o ministro Alexandre de Moraes reconheceu que houve desobediência à decisão do STF. O ministro lembrou que o Supremo já se manifestou por diversas vezes no sentido de que compete à Justiça comum pronunciar-se sobre a existência, a validade e a eficácia das relações entre servidores e o poder público fundadas em vínculo jurídico-administrativo.

"Portanto, não cabe à Justiça Especializada, como ocorreu na decisão impugnada, apreciar a regularidade do vínculo firmado entre o trabalhador e o Poder Público", concluiu. Assim, o ministro julgou procedente a reclamação e cassou as decisões da Justiça do Trabalho, determinando a remessa do processo para a Justiça comum.

Clique aqui para ler a decisão.
RCL 39.068

Revista Consultor Jurídico, 19 de fevereiro de 2020, 12h40

Comentários de leitores

2 comentários

Competência servidor público e estado

Antonio Salgado (Serventuário)

Correta a decisão do STF. A relação jurídica entre o servidor e o estado e de natureza estatutária/administrativa. Logo, a Constituição Federal estabelece a competência da justiça comum para julgar as respectivas relações. Não há qualquer casuísmo nessa interpretação e quem pensa dessa forma é mal intencionado ou desconhece regras elementares de interpretação do direito.

Responder

Dois pesos e duas medidas

Bocage (Advogado Autônomo)

Se a relação é de trabalho e existe “Justiça Especializada” por quê não vale pra funcionários públicos?
A Justiça é mesmo direcionada é tendenciosa.

Responder

Comentários encerrados em 27/02/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.