Consultor Jurídico

Condutas anticompetitivas

Cade fecha acordos com empresas investigadas por formação de cartéis

Um dos processos administrativos investigava suposto cartel no mercado nacional e internacional de revestimento de embreagens
Divulgação

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) firmou acordos nesta quarta-feira (19/2) com duas empresas investigadas pela prática de cartel. Essas companhias admitiram a participação em condutas anticompetitivas e devem pagar juntas R$ 4,1 milhões de contribuições pecuniárias.

Um dos termos de compromisso de cessação foi com a Doal Plastic Indústria e Comércio e três funcionários. Tanto os profissionais foram apanhados no bojo do inquérito administrativo que trata de suposto cartel no mercado de fornecimento de conexões de polipropileno (PP) e policloreto de polivinila (PVC) em âmbito nacional.

Conforme o acordo, todos concordaram em pagar R$ 953,4 mil de contribuição pecuniária.

No âmbito do processo administrativo que investiga suposto cartel no mercado nacional e internacional de revestimento de embreagens, o Cade firmou acordo com a empresa Fras-Lee e duas pessoas físicas.

Eles se comprometeram a contribuir com as investigações, a cessar as práticas anticompetitivas e a recolher, no total, R$ 3,2 milhões em contribuições pecuniárias.

O presidente do Cade, Alexandre Barreto, destacou a importância dos acordos e disse que eles “atendem às premissas básicas de suficiência para os efeitos de cessação da conduta anticompetitiva”.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 19 de fevereiro de 2020, 16h41

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 27/02/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.