Consultor Jurídico

Comentários de leitores

8 comentários

A crise da educação

wilma maciel (Outros)

A crise da educação no Brasil não é uma crise; é um projeto.
Darcy Ribeiro

Efetividade

Paulo Sergio Bandeira (Advogado Sócio de Escritório)

O artigo escrito pelo respeitável Ministro tem sua relevância para fomentar o debate e lançar luz sobre a precariedade da educação básica no Brasil.
Levantamentos como o PISA e o IDEB são espelhos que mostram a verdadeira imagem sucateada da educação nacional - ressalta-se - da educação PÚBLICA, pois os números qualitativos são opostos quanto falamos de educação PRIVADA.
De todo modo é preciso apontar questões verdadeiramente práticas que possam mudar o cenário do ensino no país, começando efetivamente, e concretamente, pela valorização do professor.
Que tal começarmos, por exemplo, por aumentarmos a hora atividade extraclasse de 1/3 para 40% da carga horária?
Essa medida certamente traria mais capacitação ao professor e não exigiria dele que utilizasse "horas extras" fora do período da docência para preparar aulas, corrigir provas, entre outras obrigações acessórias do ensino.
Para essa mudança bastaria apenas vontade política motivada por uma organização nacional dos professores e da sociedade civil e pressionar nossos legisladores a alterar o art. 2º, §4º da da lei 11.738/2008.
Mas aí há quem diga: "isso impactará no orçamento dos cofres públicos que terão que contratar mais professores para cobrir as horas atividades daqueles já contratados".
Respondo: educação é investimento.
Esta aí uma proposta efetiva de melhoria da educação brasileira!

Ideologia

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Sob meu ponto de vista, os desvios praticados pelo ministro Barroso possuem outra finalidade, diferente da apontada pelo douto comentarista olhovivo (Outros). Barroso e seus publicitários criaram uma ideologia que objetiva criar a ideia (equivocada) de que as leis e a Constituição são ruins, não aplicáveis por serem muito distantes da realidade prática. Assim, de acordo ainda com essa ideologia, cabe ao Judiciário, e especialmente ao Supremo, "corrigir" os "desvios" da lei e da Constituição. Em verdade, visa-se com a ideologia criar condições para que as votações no Supremo reflitam tão somente a vontade pessoal do julgador, independentemente do que diga a lei ou a Constituição. Infelizmente, em um País de iletrados e larga fatia de profissionais da área jurídica com conhecimento mínimos, Barroso vem conseguindo propor sua ideologia, muito embora em qualquer outro país desenvolvidos eles já estaria nessa altura exonerado de suas funções e excluído da vida pública.

Colonização mental

PMLG (Outro)

Não entendo o que o excelentíssimo ministro ainda faz no Brasil. Sua cabeça claramente se encontra nos EUA. Suas "fontes" são todas gringas ou nada mais que agentes dos gringos no Brasil, como as entreguistas e ultraliberais Fundação Lehmann, Instituto Ayrton Senna, Todos pela Educação.

É candidato

olhovivo (Outros)

Não há dúvidas de que o sr. Barroso será candidato a cargo eletivo depois da superexposição a que fará jus no futuro exercício da presidência do STF. É o que tudo indica pelos seus discursos e votos eleitoralmente atraentes para a massa ignara.

A OAB não tem interesse em melhorar o ensino jurídico

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos, escritor, jurista e abolicionista contemporâneo. Está na hora da OAB aposentar a excrescência do famigerado caça-níquei$ principalmente agora depoisque OAB/FGV foram flagradas plagiando vergonhosamente questões e outra Banca examinadora, para ferrar ainda mais seus cativos e encher os cofres da OAB.
Ela não tem interesse em melhorar o ensino jurídico. Só tem olhos para os bolsos dos seus cativos. Estima-se que nos últimos 24 anos OAB abocanhou, extorquindo com altas taxas de inscrições e reprovações em massa, cerca de mais de R$ 1.0 um bilhão de reais. Qual o real destino desses recursos? O fato da existência de 1718 cursos de direito, falta de fiscalização do (MEC), extensão territorial, faculdades de esquina, de shopping center, de fundo de quintal, alunos alcoólatras e/ou dependentes químicos, conforme argumentos débeis utilizados pelos defensores de plantão da OAB, não dão poder a essa guilda de usurpar papel do Estado (MEC). (Art. 209 CF compete ao poder público avaliar o ensino. O que é melhor para o país em desenvolvimento 1718 faculdades de direito, 1718 bibliotecas jurídicas ou 1718, cracolândias ou bocas de fumo? Qualidade de ensino se alcança com a melhoria das Universidades, boas instalações, equipamentos modernos, laboratórios e bibliotecas modernas e não extorquindo os advogados. Quem forma em medicina, é médico (Lei nº 13.270/16 determinou DIPLOMA DE MÉDICO, vedada expressão bacharel em medicina. Então tratamento igualitário DIPLOMA DE ADVOGADO, vedada a expressão bacharel em direito. A violação do direito ao trabalho digno impacta a capacidade da vítima de realizar escolhas segundo a sua livre determinação. Isso também significa “reduzir alguém a condição análoga à de escravo". Fim do caça-níqueis,OAB

O que o orgulho e a vaidade são capazes de fazer

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Paralelamente aos inúmeros desvios apresentados como magistrado, especialmente pela ânsia de legislar no caso concreto ao invés de julgar os processos sob sua responsabilidade, Barroso se lança agora como suposto conhecedor de um assunto que desconhece completamente.

Excelência se olvidou de falar da escravidão moderna da OAB

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos, escritor e jurista e abolicionista contemporâneo.
Eis as verdades: o art. 133 a Constituição Federal foi um grande jabuti plantado por Michel Temer. Ouro jabuti foi o fraudulento famigerado caça-níqueis exame da OAB, plantado na Lei n. 8.906/94 (fraudada) a qual não foi votada nas duas Casas do Congresso Nacional e sem nenhum debate com a sociedade. O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigualdade, de descaso. Darcy Ribeiro. Não é da alçada da OAB de nenhum órgão de fiscalização da profissão avaliar ninguém. Art. 209 da Constituição diz que compete ao poder público avaliar o ensino. Assegura art. 5º inciso XIII, da Constituição: “É livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer. O art. 29 § 1º do Código de Ética Disciplina da OAB (Das regras deontológicas fundamentais) diz: “Títulos ou qualificações profissionais são os relativos à profissão de ADVOGADO, conferidos por universidades ou instituições de ensino superior, reconhecidas. “A violação do direito ao trabalho digno impacta a capacidade da vítima de realizar escolhas segundo a sua livre determinação. Isso também significa “reduzir alguém a condição análoga à de escravo” (STF). Antes da Promulgação da Lei Áurea, era legal escravizar e tratar as pessoas como coisas, para delas tirarem proveitos econômicos. A história se repete: Refiro-me ao trabalho análogo a de escravos, o jabuti de ouro da OAB . Quem forma em medicina é médico; em engenharia é engenheiro; em psicologia é psicólogo; em administração é administrador. Até quando vai a exploração dos mercenários da OAB? Fim caça-níqueis, OAB.

Comentar

Comentários encerrados em 26/02/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.