Consultor Jurídico

Notícias

TV ConJur

Inquérito no STF desligou 70% dos geradores de fake news, diz Toffoli

Comentários de leitores

11 comentários

Ora vejam só, quem diria!

Thiago Bandeira (Funcionário público)

Os juspetistas pseudo garantistas provam o inquérito. Até acreditam nas balela do "ministru".

Alguém está surpreso?

Responder

Em face do número de prescrições no STF o jeito

analucia (Bacharel - Família)

É que outros órgãos administrativos julguem então, para evitar este " vazio constitucional" até para acabar com o acervo parado no STF.

Responder

Fora da curva

olhovivo (Outros)

Muito lúcida a análise do dr. André (abaixo), em especial no item 3. É uma análise fora da curva, exceção à mediocridade, mas é preferível ler a mediocridade a ser cego.

Responder

Motim

André Pinheiro (Advogado Autônomo - Tributária)

1- As câmaras, assembléias legislativas e tribunais não possuem personalidade jurídica. 2- o Ministério Público não possue função ou sequer competência para investigar.
Ocorre que para os dois casos, o caos e a politicagem estatal esbarrava em uma situação de lacuna institucional.
No primeiro caso, o que fazer se o prefeito ou governador não passar o duodécimo? Essa lacuna personalizada cria uma lacuna, um sistema de refém do próprio Estado, obrigando ao reconhecimento de legítimade sem personalidade.
2- o MP não pode nem deve investigar, por um simples motivo, o servidor deve ficar na casinha ou banquinho se preferir, para não se ver contaminado pelas próprias idiossincrasias investigativas. Ademais, longe do amadorismo, investigação era para ser feito por profissionais capacitados, peritos, gente de campo e não por Dândis, escribas burocratas. Mas onde está o problema? Os policiais civis eram tidos como capachos de governadores e autoridades, ou seja, bastava mero capricho de polícias ou autoridade e oa crimes se perdiam nos IPC da vida. Foi necessária o MP se mecher para investigar sob risco de inercia estatal.
3- O STF se encontrou em um vácuo constitucional quando grupos de whatsapp e Telegram de Membros do MP resolveram fazer uma espécie de motim para que os inquéritos não andassem, pois havia suspeita, além de suspeita, que certa elite do MP estava conspirando para deixar o STF inerte e isolado de qualquer investigação. Assim, desse ponto de vista, necessário os tribunais terem meio de defesa contra inércia policial ou do Ministerio público sob risco de que em caso de greve branca, crise intitucional ou motim, os órgãos judicantes não dependam de Ministério Público quando for vítima.
Os três casos devem(riam)ser de máxima exceção.

Responder

Coragem ele tem, agora noção...

Vercingetórix (Advogado Autônomo - Civil)

Esse inquérito de ofício com relator designado é a coisa mais grotesca que já ocorreu na história do direito brasileiro.

Uma pena que "grandes juristas" tenham o ignorado.

Responder

Ao leitor "olho morto", então se o STF não julga, outro órgã

analucia (Bacharel - Família)

Ao leitor "olho morto", então se o STF não julga, outro órgão pode julgar ? Ou o STF pode tudo ? Afinal, o número de processos parados no STF é quase próximo do infinito. E ainda tem os represados com o sobrestamento que não aparecem nas estatísticas. Não é fake news não.

Responder

Inquérito, esse sim facista

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

Um absurdo, uma prova da falta de controle total do STF, não desligou nada o que se tem é um instrumento sem controle, sem lei a ser seguida e ridículo, caso ninguém se recorde, efetuaram busca e apreensão, tomaram a arma do Janot, por uma bazófia sendo que ele nem na cidade se encontrava, por uma ação e a qualidade tresloucada dessa já se percebe a qualidade de tal caderno inquisitivo. E, já fogem do juiz de garantias que deveria valer para todas as instâncias e para todas as situações.

Responder

Ave!

joaovitormatiola (Serventuário)

Saúdam nosso inquisidor mor

Responder

Declaração sem base alguma

Schneider L. (Servidor)

Tem algum dado? Alguma prova?

A popularidade do STF não parece estar aumentando, e com certeza não irá com esse inquérito absolutista e inconstitucional que é um crime de responsabilidade permanente.

Responder

Órgão omisso

olhovivo (Outros)

Em face da omissão do MPF, valeu a iniciativa do STF.... os resultados estão aí. Se as fakes fossem para desmoralizar o órgão omisso, na certa haveria IC, PIC e o diabo a quatro.

Responder

cadê a OAB ?

analucia (Bacharel - Família)

Tribunal instaura inquérito, investiga, defere liminar e julga. Pode isso Arnaldo ? Pode isso OAB ?

Responder



Comentar

Comentários encerrados em 25/02/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.