Consultor Jurídico

Notícias

Peculato e lavagem

STJ confirma condenação do ex-governador Eduardo Azeredo com redução de pena

Por 

Não cabe ao Superior Tribunal de Justiça reexaminar provas de juízo de primeiro grau em julgamento de recurso especial. Com esse entendimento, a 5ª Turma do STJ confirmou a condenação do ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo por peculato e lavagem de dinheiro. A decisão desta terça-feira (11/2) foi unânime. 

ReproduçãoTurma decidiu manter condenação de Azeredo por peculato e lavagem de dinheiro

De acordo com o processo, Azeredo desviou dinheiro público de empresas estatais para promover sua campanha à reeleição em 1998, no esquema que ficou conhecido como "mensalão tucano".

Ao analisar o caso, o juízo de origem concluiu que o ex-governador usou do cargo político como trampolim. O ex-tucano teria usado da posse indireta do dinheiro público para adquirir cotas de patrocínio de eventos esportivos que jamais receberam tais valores. 

O relator do recurso, ministro Jorge Mussi, entendeu que a condenação deve prosperar porque está amparada em provas documentais e periciais, obtidas com quebra de sigilo bancário e provas orais. O colegiado seguiu seu voto.

Além disso, a turma considerou que foram consideradas duas vezes no cálculo a valoração sobre peculato pelo fato de ser governador à época. Por esse motivo, os ministros decidiram reduzir a pena de 20 anos para  15 anos e 7 meses.

HC 518.882

 é correspondente da revista Consultor Jurídico em Brasília.

Revista Consultor Jurídico, 11 de fevereiro de 2020, 17h44

Comentários de leitores

0 comentários

Ver todos comentáriosComentar