Consultor Jurídico

Funcionários "parasitas"

Advogados trabalhistas cobram explicações de Guedes por ataque a servidores

A Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas (Abrat) divulgou uma carta aberta em que cobra o ministro da Economia, Paulo Guedes, esclarecimentos sobre o seu pronunciamento no seminário “Pacto Federativo” na Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro.

Paulo Guedes afirmou que o Estado Brasileiro era 'hospedeiro' de servidores parasitas em evento no Rio de Janeiro
Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

No evento, o ministro afirmou que o Estado era uma espécie de hospedeiro vítima de servidores públicos que agiam como parasitas que querem “aumento automático”.

Na carta, a entidade pede que Guedes forneça informações sobre sua viagem, quem arcou com os custos de seu deslocamento de Brasília para o Rio de Janeiro, bem como se houve ou não remuneração pela entidade promotora do evento. O texto explica que é vedado à autoridade opinar publicamente a respeito do desempenho funcional e da honorabilidade de outras autoridades públicas federais (artigo 12 do Código de Conduta da Alta Administração Federal).

Por fim, a entidade pede que Guedes aponte “quais são os servidores, autoridades, todos, sem poupar secretários, ministros e ocupantes de cargos públicos na Presidência da República que parasitam o Estado brasileiro e que não contribuem para o bem estar social da população, em desatenção aos comandos insertos na Constituição Federal e legislação de regência do serviço público”.

Clique aqui para ler a carta

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 9 de fevereiro de 2020, 9h43

Comentários de leitores

17 comentários

Os equívocos dos equivocados

O IDEÓLOGO (Cartorário)

referentes ao funcionalismo público: o decreto 1713/39. Em 1943, o então presidente Getúlio Vargas, institui o dia 28 de outubro como dia do funcionário público e, em onze de dezembro de 1990, publica-se o novo estatuto dos Servidores Públicos Civis da União, das Autarquias e das Fundações Públicas Federais, que consolida o termo Servidor Público, através da Lei 8112/90, o Regime Jurídico Único – RJU. No entanto, antes da aprovação da Lei 8112/90, a Constituição Federal de 1988 estabeleceu e forneceu referências em relação ao Serviço Público. A Constituição anterior, a Carta Magna de 1934, nada falava sobre o serviço ou o servidor público (https://www.sintefpb.org.br/artigos/a-origem-do-servico-publico-e-o-servico-publico-no-brasil/)
Os quinze mais com maior número de servidores públicos:
15 – Japão – 5.9 % da população é composta por funcionários públicos.
14 – Coréia do Sul – 7.6 %
13 – Alemanha – 10.6 %
12 – Turquia – 12.4 %
11 – Itália – 13.6 %
10 – Estados Unidos da América – 15.3 %
9 – Espanha – 15.7 %
8 – Reino Unido – 16.4 %
7 – Grécia – 18 %
6 – Canada – 18.2 %
5 – França – 21.4 %
4 – Finlândia – 24.9 %
3 – Suécia – 28.6 %
2 – Dinamarca – 29.1 %
1 – Noruega – 30 %
Fonte:
(https://bemblogado.com.br/site/os-15-paises-com-mais-servidores-publicos-no-mundo/).

Muitos comentaristas ficaram no terreno dos equívocos, fizeram declarações carregadas de paixões, adotando o comportamento próprio do brasileiro, que age "com e pelo coração".

Os equívocos dos equivocados - i

O IDEÓLOGO (Cartorário)

"Historicamente o serviço público teve seu início oficial e jurídico na França, no início do século XIX e final do século XX. No entanto, pode-se buscar uma primeira noção na Grécia antiga, onde o serviço “era prestado pelos detentores de grandes fortunas em forma de imposição honrosa, e não pelo poder organizado em forma de estado” (JUSTEN, 2003, p. 17). Posteriormente a esse momento, mas ainda no mesmo período, Grotti (2003, p. 20) atribui a Rousseau o uso originário da expressão “serviço público” de duas maneiras:
Concebe-se como atividade estatal que sucede ao serviço do Rei, porque se operou uma substituição na titularidade da soberania e também atividades destinadas ao serviço público, isto é, a atividades das quais se asseguram aos cidadãos a satisfação de uma necessidade sentida coletivamente.
O serviço público francês foi fundado na ideia republicana de igualdade e liberdade, sendo caracterizado por disputas que, muitas vezes, ultrapassaram o âmbito jurídico.
No Brasil o serviço público teve sua origem em 1808, com a instalação da Real Família Portuguesa que, diante da necessidade de promoção do desenvolvimento da então colônia, dentro dos parâmetros da diplomacia real, percebe a importância do trabalho administrativo.
Após a proclamação da República, o funcionalismo tornou-se mais forte, colaborando direta e indiretamente com a administração, executando ações que movimentaram e impulsionaram os serviços básicos e essenciais de que necessitam os cidadãos em suas relações sociais com o Estado, no entanto, não existiam regulamentação nem legislação específica ou mesmo denominação alguma para os servidores do da República brasileira.
Aos vinte e oito dias do mês de outubro de 1939, surge um dos primeiros documentos que consolida normas refere

Ministro está certo

George (Advogado Autônomo)

Alguém já cobrou explicações sobre esses absurdos abaixo?
alguma coisa já foi feita para acabar com essa farra do Dinheiro público?
(Basta pesquisar no google, milhares de outras notícias parecidas)
depois que acabarem com isso, poderemos ver se o Ministro está errado! e se merece uma reprimenda!

https://g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/medicos-sao-flagrados-em-esquema-de-farra-do-ponto-em-hospital-publico-do-interior-de-sp.ghtml

https://www.brasildefato.info/2019/03/11/supersalarios-juizes-recebem-ate-rdollar-250-mil-por-mes-e-pagam-menos-6-de-inss-liberar

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 17/02/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.