Consultor Jurídico

Preocupação com a imagem

Pesquisa indica que pessoas tendem a mentir para parecerem honestas

Uma pesquisa feita com advogados e estudantes de Israel, além de testes virtuais com voluntários nos Estados Unidos e na Inglaterra, concluiu que as pessoas tendem a mentir para parecerem honestas. O estudo é da Universidade Hebraica de Jerusalém e foi publicado nesta semana na revista científica American Psychological Association.

Segundo a professora e coordenadora da pesquisa, Shoham Choshen, muitas pessoas se preocupam com suas reputações e em como serão julgadas pelos outros. "Nossas descobertas sugerem que, quando as pessoas obtêm resultados extremamente favoráveis, antecipam as reações suspeitas de outras pessoas e preferem mentir e parecer honestas do que dizer a verdade e correr o risco de soarem mentirosas ou egoístas", disse.

Em um estudo com 115 advogados em Israel, os participantes deveria informar a um cliente o quanto custaria atuar em um caso conforme as horas de trabalho. Metade teria trabalhado 60 horas, e a outra metade 90 horas. O advogado estaria em um escritório onde o cliente não saberia quantas horas foram realmente gastas no caso.

Depois, perguntaram a cada participante quantas horas cobrariam do cliente. No grupo de 60 horas, os advogados relataram uma média de 62,5 horas, com 17% mentindo para aumentar o tempo de trabalho. No grupo de 90 horas, os advogados relataram uma média de 88 horas, com 18% do mentindo para informar um período menor. Segundo o estudo, alguns advogados do grupo de 90 horas ficaram com receio de o cliente achar que foi enganado. 

Em outro experimento, 149 estudantes de uma universidade israelense disputaram jogos online de dados e lançamento de moedas e depois informaram suas pontuações a um pesquisador. Os participantes recebiam 15 centavos por cada lançamento de moeda ou de dados.

O programa de computador foi manipulado para metade dos alunos, para que recebessem notas perfeitas nos jogos, enquanto o outro grupo teve resultados aleatórios. No grupo de pontuação perfeita, 24% omitiram o número verdadeiro de vitórias para parecerem mais honestos, mesmo que isso lhes custasse dinheiro.

No último teste, feito pela internet com 201 adultos dos Estados Unidos, os participantes trabalhavam em uma empresa em que faziam muitas viagens de trabalho e recebiam remuneração mensal de até 400 milhas. Eles foram informados de que a maioria dos funcionários recebia de 280 a 320 milhas por mês.

Metade dos participante deveria receber 300 milhas por mês, enquanto a outra metade tinha remuneração de 400 milhas. Quando perguntaram aos participantes quantas milhas eles relatariam à empresa, o primeiro grupo disse a verdade e informou uma média de 301 milhas. Já no segundo grupo, 12% mentiram e relataram uma média menor, de 384 milhas. O estudo também foi feito com 544 pessoas da Inglaterra e obteve resultados semelhantes.

"Embora nossas descobertas possam parecer irônicas ou contra-intuitivas, acho que a maioria das pessoas reconhecerá um momento de suas vidas em que foi motivada a contar uma mentira para parecer honesta", concluiu a coordenadora do estudo.

Clique aqui para ter acesso à integra do estudo

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 2 de fevereiro de 2020, 8h21

Comentários de leitores

1 comentário

Mentiras

Júlio M Guimarães (Bacharel - Trabalhista)

Basta ver as declarações do Lula.

Comentários encerrados em 10/02/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.