Consultor Jurídico

Quintuplamente qualificado

MP denuncia ex-marido por assassinato de juíza no Rio de Janeiro

O Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou nesta quarta-feira (30/12) o engenheiro Paulo José Arronenzi por homicídio quintuplamente qualificado contra sua ex-mulher, a juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, assassinada a facadas na véspera do Natal na frente das três filhas do casal.

Paulo José Arronenzi foi denunciado por assassinato com cinco agravantes
Reprodução

De acordo com a argumentação da promotoria, o crime cometido pelo engenheiro tem cinco agravantes: o fato de ser um feminicídio; a presença das três crianças no local do assassinato; a ausência de possibilidade de defesa da vítima; a utilização de meio cruel; e o planejamento do crime.

O assassinato de Viviane Arronenzi foi realizado à luz do dia em uma movimentada avenida da Barra da Tijuca, bairro da zona oeste da cidade do Rio de Janeiro. Câmeras de segurança instaladas nas proximidades filmaram o crime — na gravação, é possível ouvir os gritos das filhas do casal.

De acordo com o MP, a juíza foi "atacada de surpresa quando descia do carro enquanto levava as filhas ao encontro do denunciado" e o crime foi planejado em razão dos problemas financeiros do acusado, que não trabalha e dependia da ex-mulher.

Paulo Arronenzi foi detido por guardas municipais que estavam no local e não ofereceu resistência, tendo sido encaminhado à Delegacia de Homicídios da Capital, na Barra da Tijuca. Em 2007, uma ex-namorada do engenheiro registrou um boletim de ocorrência contra ele queixando-se de importunação após o fim do relacionamento.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 30 de dezembro de 2020, 21h00

Comentários de leitores

4 comentários

Advogado

Gustavo Pereira Sociedade Individual de Advocacia (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

E lamentavel,triste e revoltante a forma como a magistrada carioca faleceu.Nada justifica a barbarie.Mas a minha critica e a celeridade do MP e da Policia Civil no caso,demonstrando que jamais deixaremos a pobreza antropologica brasileira da " Republica dos Bacharéis " e do " voce sabe com quem esta falando'.Milhares de brasileiros e brasileiras sao brutalmente assassinados no pais e os orgaos da Justica e do Ministerio Publico nao condenam,nao investigam e muitas vezes demoram meses e ate anos para denunciar o suspeito.Mas a vitima nao era uma dona de casa,ou uma trabalhadora comum.Por isto a destacada celeridade do MP.E preciso alterar a Constituição e tirar o excesso de poderes do Ministerio Publico.Nao andou bem o legislador de 1988.

Mp holofote

Limago (Advogado Autônomo - Civil)

O Ministério Público só funciona assim: com mídia...se alguém necessitar de seus préstimos, deve procurar primeiro a imprensa, a partir dela o MP vai passar a agir...aliás, é a única coisa que regula e o controla...suas Corregedorias são corporativas e inócuas...o Legislativo deveria repensar o MP em nosso país...ele carecia agir com a discrição das Defensorias Públicas...⚖️

MP e sua particularidade

Professor Edson (Professor)

Quando a vítima é desconhecida não vejo o MP fazendo um trabalho brilhante como esse, aliás dificilmente recorre das penas mínimas aplicadas pelo judiciário.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 07/01/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.