Consultor Jurídico

Barato saiu caro?

Rosa manda TCU definir se desestatização da Cepisa causou prejuízo ao Piauí

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal, concedeu prazo até 31 de agosto de 2021 para que peritos do Tribunal de Contas da União apresentem laudo pericial econômico-financeiro sobre o processo de desestatização da Companhia Energética do Piauí (Cepisa), ocorrido em 2018.

Peritos do TCU terão até agosto de 2021 para fazer avaliação solicitada
TCU

O despacho se deu na Ação Cível Originária 3.024, em que o estado do Piauí pleiteia indenização por supostos prejuízos causados pela demora na venda e na privatização da distribuidora de energia elétrica.

O estado alega que, conforme contratos realizados por volta de 1997, seria devido, quando do futuro leilão de privatização da Cepisa, o pagamento da diferença entre 90% do valor obtido com a venda das ações e o valor que lhe fora antecipado (R$ 120 milhões).

Sustenta que, em 2000, a companhia foi avaliada por empresa contratada pelo BNDES em R$ 260 milhões. Entretanto, o processo de privatização só foi retomado 20 anos depois, em um cenário econômico-financeiro totalmente diverso, o que lhe causou extremo prejuízo. 

Dentre outros pontos requeridos pelas partes do processo, a perícia deverá responder às questões apresentadas pela relatora: se houve mora (atraso) da União ou do BNDES para a realização do leilão da empresa e, em caso positivo, quais os motivos da mora e quem foi responsável por ela; e qual o valor da Cepisa na época da entrega da empresa para fins de leilão. Com informações da assessoria de imprensa do Supremo Tribunal Federal.

ACO 3.024




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 27 de dezembro de 2020, 17h50

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 04/01/2021.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.