Consultor Jurídico

Caso Dario Messer

MPF denuncia advogados e empresário que vendiam falso esquema de proteção

O doleiro Dario Messer
Divulgação

O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro denunciou os advogados Antônio Augusto Lopes Figueiredo Basto, Luis Gustavo Flores e o empresário Enrico Vieira Machado por exploração de prestígio qualificada, tráfico de influência qualificado e associação criminosa.

O MPF sustenta que os denunciados venderam por quase sete anos à organização criminosa liderada pelo doleiro Dario Messer um falso esquema de proteção. Os advogados Antonio Augusto e Luis Gustavo também foram denunciados por lavagem de ativos, juntamente com Dario e Marco Antônio Cursini.

Na denúncia afirma-se que Antônio Figueiredo Basto e Luis Gustavo Flores receberam a título de "taxa de proteção", entre setembro de 2006 e março de 2013, US$ 50 mil mensais da organização de Dario. A taxa serviria supostamente para evitar investigações do MPF e PF e seriam destinadas a agentes públicos.

A tal taxa era cobrada a pretexto de impedir investigações do MPF e da Polícia Federal, alegando-se que os valores seriam destinados a agentes públicos. O dinheiro, contudo, permanecia com os denunciados e era enviado ilegalmente a uma conta na Suíça, em nome da empresa Big Pluto Universal — empresa offshore de fachada controlada por Antônio Figueiredo Basto e Luis Gustavo Flores. No total, foram recebidos US$ 3,9 milhões (US$ 50 mil mensais, por 78 meses).

O grupo de Messer pagaria a "taxa de proteção" em espécie aos advogados no Brasil a cada dois ou três meses. Depois, os advogados remetiam ilegalmente os valores ao exterior, por meio de operações dólar cabo, realizadas por Cursini. Entre 2008 e 2012 foram praticados 35 atos de lavagem de dinheiro pela remessa dos valores ilícitos ao exterior.

Cursini, um dos doleiros envolvidos no processo, teria pago R$ 400 mil a pretexto de impedir que ele fosse convocado para uma CPI. O dinheiro também seria destinado a agentes públicos, mas ficou com a dupla de advogados. O dinheiro acumulado ficou na conta de Figueiredo Basto e Luis Gustavo no exterior e 2008 a 2016.

Clique aqui para ler a íntegra da denúncia




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 18 de dezembro de 2020, 20h20

Comentários de leitores

2 comentários

Isso existe desde 1994...

LuizD'grecco (Outros)

Elementos ligados a POLICIA FEDERAL & CIVIL delegados, bem como CNJ, PGR-BR, MP-FEDERAL & MP-ESTADUAL promotor e procurador, inclusive do GAECO em conluio com ministros do STF, STJ, Juízes e Desembargadores e SUAS ASSOCIAÇÕES, o TCM-RJ & TJRJ, aliados a fiscais da ANTT, SEFAZ-RJ & CVM-RJ, POLITICOS deram vida a maior ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA já vista no Brasil, em conluio ao grupo de empresários da INVEPAR-LAMSA-OAS com a participação de diretores e presidentes dos fundos de pensão de bancos e estatais, CAIXA ECONOMICA, TRANSPORTADORA DE VALORES numa trama criminosa arquitetada por CESAR MAIA & LÉO PINHEIRO-OAS no caso Linha Amarela, com suspeitas recaindo sobre GEDEL VIEIRA LIMA e JAQUES VAGNER no caso Transolimpica, junto com advogados famosos, e integrantes da OAB, atuam no CRIME PERMANENTE DE EXTORSÃO MEDIANTE GRAVE AMEAÇA, de estelionato, sonegação, propina, falsidade ideológica, fraude a licitação, fraude a acionistas, lavagem de dinheiro, contabilidade fraudada para obter empréstimos fraudulentos em bancos estatais, fundo e internacionais, com garantias do Tesouro Nacional, operando venda de debentures e títulos sem lastro, lavagem de dinheiro, prevaricação, fraude processual, formação de quadrilha, peculato, etc, etc, etc... (LuizPCarlos)
https://www.facebook.com/media/set/?set=a.733196423903713&type=3

Advogados

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

Diz o início do texto: "O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro denunciou os advogados Antônio Augusto Lopes Figueiredo Basto, Luis Gustavo Flores e o empresário Enrico Vieira Machado por exploração de prestígio qualificada, tráfico de influência qualificado e associação criminosa.
O MPF sustenta que os denunciados venderam por quase sete anos à organização criminosa liderada pelo doleiro Dario Messer um falso esquema de proteção. Os advogados Antonio Augusto e Luis Gustavo também foram denunciados por lavagem de ativos, juntamente com Dario e Marco Antônio Cursini".

Resta, agora, apuração dos comportamentos dos nobres advogados.
O dever ser dos advogados não foi aquele defendido pelo jurista Hans Kelsen. Foi substituído por "você me deve".

Comentários encerrados em 26/12/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.