Consultor Jurídico

Mais Um

Carrefour é condenado a indenizar idoso discriminado por segurança em Goiás

Confrontar e expor cliente injustamente em um estabelecimento comercial gera humilhação e ofensa à honra subjetiva, o que cria o dever de indenizar.

Idoso expulso por segurança em supermercado receberá R$ 10 mil    Reprodução

O entendimento é do juiz Leonys Lopes Campos da Silva, da 2ª Vara Cível de Anápolis (GO). O magistrado condenou o Carrefour a indenizar em R$ 10 mil um idoso expulso do supermercado por um segurança.

O caso ocorreu no início de 2019, na unidade Brasil Park Shopping. O autor, que tinha 75 na época dos fatos, foi confundido com um morador de rua e acabou sendo expulso. 

"A injusta exposição e confrontação do autor em estabelecimento comercial, conduta praticada pelo funcionário por acreditar que aquele se tratava de pedinte, inclusive com repercussão na mídia, tem o condão de gerar humilhação e ofensa à honra subjetiva que extrapolam os meros aborrecimentos cotidianos, pelo que nasce o dever de indenizar por danos morais", afirma a decisão.

O magistrado também destacou que "o estabelecimento comercial se submete às disposições do Código de Defesa do Consumidor e, nas relações de consumo, como a presente, a responsabilidade do fornecedor é objetiva, sendo afastada apenas nas hipóteses de inexistência de defeito na prestação do serviço ou da culpa exclusiva do consumidor". 

A sentença é de fevereiro deste ano. O Carrefour chegou a apresentar recurso, mas desistiu. Por isso, o caso acabou transitando em julgado no dia 2 de dezembro.  

Atuaram no processo defendendo o idoso os advogados Pedro Jacinto Xavier e Wilson Araújo de Oliveira Júnior

Clique aqui para ler a decisão
5132784.45.2019.8.09.0006




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 11 de dezembro de 2020, 20h24

Comentários de leitores

3 comentários

Inacreditável

Cleiton Correa (Economista)

Me é inacreditável que essa rede de supermercados continue a ter clientes, haja vista os repetidos abusos cometidos. Um grande e amplo boicote deveria ter sido feito contra o Carrefour.

Mais uma vez?

Marcia Pereira da Silva (Advogado Autônomo - Tributária)

Mas, de novo esse Carrefour na baila ? Meu Deus! Que empresa é essa ? De onde tiram esses seguranças tão monstros?Inadmissível essa situação e não vejo ninguém fazendo alguma coisa concreta contra essa empresa.

Dezão. Só?!?!?!

José Ribas (Advogado da União)

A continuar conversando m essas infimas condenações, vale a pena até matar

Comentários encerrados em 19/12/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.