Consultor Jurídico

Outro lado do balcão

Moro assina parecer favorável a bilionário israelense em disputa com a Vale

Ex-ministro assina parecer favorável a empresário em disputa contra a Vale
José Cruz/Agência Brasil

Sergio Moro, ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública e ex-juiz do consórcio da "lava jato" de Curitiba, assinou um parecer favorável ao bilionário israelense Benjamin Steinmetz. O trabalho marca sua estreia no setor privado. A informação foi publicada no blog Fausto Macedo, no jornal O Estado de S.Paulo.

Steinmetz já foi investigado por suspeita por corrupção e quer provar que a mineradora sabia dos riscos do contrato de exploração de uma mina na Guiné quando fechou um negócio com uma de suas empresas em 2010.

No parecer, Moro sustenta a tese de que a Vale teria ocultado os riscos envolvidos no negócio. Steinmetz tenta provar que a mineradora deu informações falsas ao tribunal arbitral em Londres em que a empresa brasileira conseguiu uma sentença favorável de US$ 2 bilhões contra o israelense.

A Vale comprou de Steinmetz 51% da BSG Resources (BSGR), que possui licenças de exploração de minério de ferro em uma transação de US$ 2,5 bilhões. A Vale pagou US$ 500 milhões antecipadamente ao empresário israelense.

Um ano após o negócio, o presidente eleito da Guiné, Alpha Condé, revisou todas as concessões de exploração de minérios de governos anteriores. A investigação no país africano encontrou indícios de suborno na concessão das minas a Steinmetz, em 2008, quando o país era governado por Lansana Conté, um militar que deu um golpe de estado que durou 24 anos.

Com isso, a Vale buscou reparação na corte arbitral de Londres, que acolheu os argumentos da mineradora brasileira. Além do parecer de Moro, Steinmetz contratou o jurista Pedro Serrano. Tanto o parecer de Moro quanto o de Serrano foram sustentados em informações públicas sobre o negócio, documentos, o testemunho de Steinmetz e informações levantadas pela empresa israelense de investigação Black Cube.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 8 de dezembro de 2020, 21h13

Comentários de leitores

10 comentários

Nada de errado

Bruce advogado (Advogado Autônomo - Criminal)

Não concordo com muitos atos proferidos pelo ex juiz,porém realmente criticar um ato de consultoria dele para um cliente,aí já é demais,quanto ao ato em si,não existe problema,o que se pode questionar e a moral desse ato em relação a todos os dá época lavajatista,ê aí que reside o engraçado,temos aqui morrista acusando os Bolssonarista e outros acusando os Lulista, de fazerem campanha difamatoria contra ele,colocando o ex,ex,acima de tudo,não sei se ele tá errado nesse ato,mas tenho certeza que muita água passada vai mover esse moinho ainda.

Parecer de Moro

hrb (Advogado Autônomo)

...que bom o Moro ter dado o parecer, se a ele pediram é porque se trata de um profissional competente, respeitável e mundialmente reconhecido. Os invejosos se contorcem....

Corrupto e entreguista!!

Flávio Haddad (Advogado Autônomo)

Se alguém tinha dúvidas!! Sempre a serviço do grande capital nacional e internacional!

Lógico!!! Ele tá certo!!

João Peixoto (Advogado Sócio de Escritório - Trabalhista)

Esse conjur tá se tornando um balcão de fofoca, viu!!!

Lógico que o parecer dele tem que ser favorável ao cliente, o qual está pagando seus honorários!!

Queriam que fosse diferente? Era só o que faltava!!!

Eu sou advogado, e advogo pra quem me paga!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 16/12/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.