Consultor Jurídico

Alvo de Busca e Apreensão

Corregedoria-Geral da JT vai apurar conduta de desembargador do TRT-1

Na manhã desta sexta-feira (28/8), foi cumprido mandado de busca e apreensão na residência e gabinete do desembargador Marcos Pinto da Cruz, do TRT-1 (RJ). A ação, realizada pela Polícia Federal e autorizada pelo STJ, buscou apurar irregularidades e desvio de recursos da saúde do Rio de Janeiro durante a pandemia da Covid-19.

Sede do TRT-1, no Rio de Janeiro
Halley Pacheco de Oliveira

Diante disso, o corregedor-geral da Justiça do Trabalho, ministro Aloysio Corrêa da Veiga, registrou nesta sexta-feira (28), durante a 5ª Sessão Ordinária do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), que a Corregedoria-Geral abriu pedido de providências para apurar os fatos noticiados pela imprensa envolvendo a ação da PF.

Para apurar o caso, o ministro determinou que o presidente do TRT da 1ª Região intime o desembargador a prestar esclarecimentos e que o próprio presidente preste informações, "para que possamos ter ciência de todos os fatos e, assim, tomar as medidas que entendemos cabíveis", explicou o corregedor.

Segundo o ministro, a Justiça do Trabalho, por meio da Corregedoria-Geral, não permite e não permitirá desvios de condutas. "Acima de tudo, é necessário que tenhamos sempre como pressuposto a reserva de sermos intransigentes com esse tipo de desvio de conduta. Iremos apurar o fato, sem fazer qualquer juízo de valor enquanto não tivermos o conhecimento de todos os fatos", concluiu. Com informações da assessoria de imprensa do Tribunal Superior do Trabalho.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 28 de agosto de 2020, 21h42

Comentários de leitores

1 comentário

Pizza

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

Senhor garçom, uma pizza brasileira, por favor!

Comentários encerrados em 05/09/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.