Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Quem advoga para empresas prefere a TR

Gilberto Oliveira Filho (Outros)

Sou empresário em SP, tenho muitos processos trabalhistas contra mim, e evidentemente, prefiro a TR.
O meu jurídico, assim como os autores do texto acima, torcem para que hoje o STF mantenha a TR e afaste o IPCA-E. Não por uma questão de justiça, mas porque é mais vantajoso para nós.

Contudo, os meus advogados já me prepararam para o pior, afirmando que o IPCA-E é mais justo e compatível com a Constituição de 88, pelos seguintes motivos:
-- a TR, zerada há tempos, não repõe a perda inflacionária e fere o direito de propriedade do trabalhador.
-- juros e correção monetária têm funções diferentes.
-- se o IPCA-E ferisse a separação de poderes, o STF não teria determinado a aplicação do IPCA-E para os precatórios.
-- a pandemia nada tem a ver com essa discussão da TR x IPCA-E, que já se arrasta há anos nos nossos tribunais.

Concluindo: apesar da minha torcida pela TR, achamos que o STF vai estabelecer, por maioria apertada, sua substituição pelo IPCA-E. Resta saber qual vai ser a modulação.

Quem advoga para empresas prefere a TR

Gilberto Oliveira Filho (Outros)

Sou empresário em SP, tenho muitos processos trabalhistas contra mim, e evidentemente, prefiro a TR.
O meu jurídico, assim como os autores do texto acima, torcem para que hoje o STF mantenha a TR e afaste o IPCA-E. Não por uma questão de justiça, mas porque é mais vantajoso para nós.

Contudo, os meus advogados já me prepararam para o pior, afirmando que o IPCA-E é mais justo e compatível com a Constituição de 88, pelos seguintes motivos:
-- a TR, zerada há tempos, não repõe a perda inflacionária e fere o direito de propriedade do trabalhador.
-- juros e correção monetária têm funções diferentes.
-- se o IPCA-E ferisse a separação de poderes, o STF não teria determinado a aplicação do IPCA-E para os precatórios.
-- a pandemia nada tem a ver com essa discussão da TR x IPCA-E, que já se arrasta há anos nos nossos tribunais.

Concluindo: apesar da minha torcida pela TR, achamos que o STF vai estabelecer, por maioria apertada, sua substituição pelo IPCA-E. Resta saber qual vai ser a modulação.

Os que estão no topo da pirâmide querem enfraquecer sua base

Johnny Barros Junior (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Ouvi isto, vós que anelais o abatimento do necessitado; e destruís os miseráveis da terra,
Dizendo: Quando passará a lua nova, para vendermos o grão, e o sábado, para abrirmos os celeiros de trigo, diminuindo o efa, e aumentando o siclo, e procedendo dolosamente com balanças enganosas,
Para comprarmos os pobres por dinheiro, e os necessitados por um par de sapatos, e para vendermos o refugo do trigo?
Jurou o Senhor pela glória de Jacó: Eu não me esquecerei de todas as suas obras para sempre.

Amós 8:4-7

conversa mole

Rolando Caio Brasil (Estudante de Direito)

Conversa mole essa do articulista. Vamos ser honesto: juros moratórios é uma coisa, correção monetária é outro coisa. O articulista faz uma confusão, no que parece intencional, para tentar justificar sua opinião. IPCA-E, não há dúvida, é índice que melhor preserva a correção do capital e por conseguinte a propriedade. Daí a decisão acertada do TST. Querer tirar esse direito do credor do trabalho, é querer diminuir seu crédito em patamar inferior ao credor civil.

Comentar

Comentários encerrados em 2/09/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.