Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Triste fatalidade

Palpiteiro da web (Investigador)

"já era suficiente para indicar aos policiais que a relação entre o casal não era amistosa". É fácil falar baboseiras como essas quando o fato já ocorreu. Mas a atividade policial não é fácil e simples como imaginam os juízes, os quais vivem em um mundo totalmente desconectados da realidade. O que pode ter acontecido no caso é a falta do uso correto de algemas (mãos algemadas para trás) ou até mesmo a falta do emprego delas, seguindo o entendimento ERRADO da súm. 11 do STF. Além disso, a equipe pode ter falhado na revista pessoal no assassino, pois ele sacou de uma faca. Nesse ponto, mesmo com a faca escondida no corpo devido a falha na revista dos PMs, se o homicida tivesse sido algemado com as mãos para trás, talvez ele não teria conseguido seu intento de matar a ex-companheira, pois a dificuldade de golpear com faca seria mais que evidente. De fato, foi uma fatalidade a ser estudada e evitada por ocorrências similares.

Concordo

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

O Brasil precisa de cientistas, policiais, médicos, enfermeiros. Temos excesso de advogados, que levam ao Poder Judiciário a sua "visão de mundo", tando que, recentemente, descobriu-se que, um processo parado há anos no TJSP, estava nos escaninhos de um ex-integrante da "advocacia".
E, contrariando um direito pragmático, tem jurista aqui na Conjur, que diz o mundo jurídico precisar de "mais filosofia" para resolver os seus intermináveis problemas.
Quanto as algemas, avisem ao Senhor Ministro do STF Gilmar Ferreira Mendes.

Eita!

J. Henrique (Funcionário público)

"...a equipe pode ter falhado...". Sejamos claros, falhou!

Incompetência

O ESCUDEIRO JURÍDICO (Cartorário)

Aqui no Brasil a incompetência atinge elevado grau.

Comentar

Comentários encerrados em 23/08/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.