Consultor Jurídico

Nova acusação

MPF denuncia Sérgio Cabral por lavagem de dinheiro em leilão de vinho

O Ministério Público Federal denunciou o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral e os empresários Dario Messer e Edson Figueiredo Menezes, ex-presidente do Banco Prosper, por um esquema de evasão de divisas e lavagem de cerca de US$ 303 mil (quase R$ 1,7 milhão) em 2011.

Ex-governador do Rio Sérgio Cabral está preso desde o fim de 2016
Alex Ferro/ Rio 2016

De acordo com o MPF, Messer e Menezes movimentaram recursos obtidos via corrupção e fraudes a licitações a serviço do então governador do Rio. Como forma de lavar dinheiro para Cabral, sustentam os procuradores da República, Menezes adquiriu cerca de US$ 303 mil em vinhos em um único leilão internacional para Cabral, tendo sido posteriormente ressarcido por meio da rede de doleiros de Messer.

Cabral, Messer e Menezes são acusados dos crimes de evasão de divisas e lavagem de dinheiro. O MPF afirma que identificou que Cabral enviou para o exterior valores em reais equivalentes a US$ 303 mil por intermédio da rede de doleiros de Messer, que foram creditados em conta nas Ilhas Cayman, da offshore Remo Investments, titularizada por Menezes.

Sérgio Cabral já foi condenado a mais de 250 anos de prisão em processos da “lava jato”. Com informações da Assessoria de Imprensa do MPF.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 30 de abril de 2020, 15h53

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 08/05/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.