Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

Menos sensacionalismo, mais razão

Daniel André Köhler Berthold (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Criou-se, no Brasil, um ambiente no qual parece que todo magistrado que ainda não mandou soltar todos os presos sob sua jurisdição é um criminoso em série (na medida em que todos esses presos, neste momento, já devem ter morrido de covid-19). Isso sem contar que, claro, todo o caos no sistema penitenciário nacional é de responsabilidade exclusiva dos magistrados.
Pois a “manutenção dos presos em ambiente prisional, principalmente daqueles que pertencem ao grupo de risco, é a medida que se apresenta mais segura no atual contexto, no qual a assistência médica pública e privada está restrita aos atendimentos de urgência, impossibilitando o atendimento ambulatorial dos custodiados junto às Unidades Básicas de Saúde e Hospitais Públicos”.
Quem escreveu o texto entre aspas? Uma associação magistrados ou de membros do Ministério Público?
Não! Isso faz parte de um Parecer Técnico do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (CREMERS).
Acham que é "fake news"? Podem procurar em "https://cremers.org.br/cremers-recomenda-que-presos-do-grupo-de-risco-permanecam-em-presidios".

Pilatos

O JR (Advogado Autônomo)

Primeiro a tragédia, depois a conscientização!
Procuradora Ana Lúcia: lembre-se da advertência do Pensador ibérico: “Pilatos também lavou as mãos, mas não há mãos mais sujas do que aquelas mãos tão bem lavadas”...
Deixe a companhia de Anás, Caifás e outros algozes...

coitadinhos dos criminosos, devemos soltar todos

analucia (Bacharel - Família)

coitadinhos dos criminosos, devemos soltar todos, pois são vítimas da sociedade. Estranho é que o Governo mande as pessoas de bem ficarem presas em casa, mas alguns querem que os bandidos não fiquem em quarentena no presidio. .

Um beijo no seu coração, doutora ana lúcia

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Concordo com o pensamento da ilustre comentarista.
Esses infamantes, apodrecidos, ignóbeis e insensíveis rebeldes primitivos devem ficar em suas "tocas", longe do convívio social.

Pena nos termos da lei

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Os condenados à pena de prisão no Brasil não são "coitadinhos". Eles, na verdade, fazem parte da chamada "população carcerária", composta pelos cidadãos que foram condenados a penas restritivas da liberdade pelo fato de terem violado a lei penal. O fato de terem sido condenados, no entanto, não significa nem de longe que devam, ao contrário do que pensam alguns psicopatas, serem expostos e toda espécie de dissabores. Ao contrário, o cumprimento das penas deve se dar nos mesmos termos da lei que os condenou, e no Brasil nenhuma lei diz que o condenado deve ser submetido a condições degradantes, a prisões insalubres, a torturas ou exposição a doenças infecciosas. Aquele que não consegue realizar essas distinções, para saber que a pena deve ser cumprida nos termos da lei, deveria se calar publicamente, e procurar tratamento especializado para o ódio que os corroí, quando descobrirão que esse sentimento os destrói intimamente pouco a pouco.

Os equívocos do intelectual marcos alves pintar

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Incide o pensamento do advogado Marcos Alves Pintar, intelectual de prol e de escol, em profundos equívocos, ao valorizar, excessivamente, os "rebeldes primitivos esfaimados".
Ora, foram eles que procuraram, voluntariamente, encher os seus currículos com ilícitos. Não foram coagidos a praticá-los.
Diante da restrição de recursos financeiros, devemos utilizá-los para favorecer aqueles que cumprem a lei. Desviá-los para esses inconsequentes rebeldes, é alterar a equação da lei, permitindo que fiquem no mesmo patamar daqueles que não descumpriram a lei.
Escrevi e transmiti a minha ideia.

Comentar

Comentários encerrados em 21/04/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.