Consultor Jurídico

Violência contra mulher

Desembargador concede HC a homem que violou medida protetiva e agrediu ex

A prisão preventiva, no âmbito da Lei Maria da Penha, é medida excepcional, que se justifica apenas e exclusivamente para evitar a ocorrência de um mal maior.

Desembargador concede HC a homem que violou medida protetiva e agrediu ex
Reprodução

Com esse entendimento, o desembargador Diógenes V. Hassan Ribeiro, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, concedeu habeas corpus a um homem que estava preso por descumprir medida protetiva e agredir sua ex-companheira e a irmã dela.

Ao analisar o caso, o desembargador considerou a excepcionalidade da preventiva e que o boletim de ocorrência também registra a existência de possíveis desentendimento mútuos.

Assim, afirmou, “em que pese o descumprimento, em tese, das medidas protetivas de urgência, as circunstâncias do caso concreto autorizam a revogação da prisão preventiva”.

A prisão preventiva para a garantia do cumprimento de medidas protetivas, no âmbito da Lei 11.340/2006, somente se justifica e deve persistir no calor dos acontecimentos, para evitar um mal maior, especialmente porque eventual condenação não gerará pena privativa de liberdade. Não é possível manter a prisão por tempo excessivo”, escreveu o magistrado.

Clique aqui para ler a decisão




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 12 de abril de 2020, 12h39

Comentários de leitores

2 comentários

questão complexa

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

A violência doméstica é um os poucos crimes realmente combatidos, e por incrível que pareça contra essa modalidade de crime vale o chamado direito penal do inimigo, já que se emprega crimes de perigo abstrato, basta a proximidade do autor para justificar a prisão, e muitos benefícios processuais não alcançam o autor, como a fiança.Um comparativo da violência doméstica com o crime de tráfico de drogas seria bem interessante, afinal, qual modalidade mata mais?

na lógica do Desembargador, tem que matar para justificar a

daniel (Outros - Administrativa)

na lógica do Desembargador, tem que matar para justificar a preventiva, não basta apenas bater e descumprir a medida protetiva.

Comentários encerrados em 20/04/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.