Consultor Jurídico

Notícias em tempos de cólera

Defensor é vítima de fake news endossada por deputado; defensores reagem

Por 

Defensor tem sido alvo de ataques e ameaças após seu nome ser divulgado em fake news compartilhada por deputado
Arquivo pessoal

Alvo de fake news com grande repercussão nas redes sociais e reproduzida por alguns veículos de imprensa do Rio Grande do Sul, o defensor público Mário Rheingantz sofre com ataques e ameaças desde o último dia 1º de abril.

A postagem falsa afirma que Rheingantz seria o responsável pela soltura de mais de 3,6 mil presos durante a pandemia do novo coronavírus. O defensor fez um pedido de reanálise quanto aos presos preventivos de uma única vara criminal. Um dos posts que aumentaram ainda mais o alcance da notícia fraudulenta foi feito pelo deputado estadual Ruy Irigaray (PSL). Ele escreveu:

"Aqui no RS o judiciário arrumou uma solução para o cidadão de bem cumprir a quarenta: soltaram a bandidagem nas ruas, mesmo com o parecer contrário do Ministério Público. Agora o defensor público Mário Rheingantz quer ampliar ainda mais essa bandalheira, de que lado vocês estão?".

Consternados com a situação, defensores públicos do Rio Grande do Sul divulgaram uma nota de desagravo à disseminação de mentiras sobre o colega e o trabalho da instituição. O documento conta com a assinatura de 557 defensores públicos de todo o país.

 "Em verdade, como medida de prevenção à presente pandemia do novo coronavírus (Covid-19), assim como diversas outras Defensoras e Defensores Públicos, apenas foi solicitada a revisão das prisões preventivas, análise de possibilidade de prisão domiciliar e informações sobre condições de saúde, em relação às pessoas presas provisoriamente na vara criminal em que atua, cumprindo seu dever constitucional, na mesma esteira, inclusive, do recomendado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ)", diz trecho do documento.

Rheingantz afirmou que irá processar todos que espalharam a notícia falsa. "Foi feita uma postagem inverídica e ilegal sobre minha atuação como defensor, com ataques e ameaças. Não podemos calar diante de crimes, sejam eles contra mim ou contra uma instituição que é parte fundamental da democracia, como a Defensoria Pública".

Além da manifestação dos colegas, a Associação dos Defensores Públicos do Rio Grande do Sul também publicou uma nota de repúdio. Leia abaixo:

Foram compartilhadas publicações por centenas de usuários na rede social “Facebook” contendo fatos distorcidos e números incorretos sobre a atuação do Defensor Público Mário Rheingantz. As mensagens continham conotação ofensiva, discurso de ódio e ameaças ao Defensor, que tomaram grande repercussão.

Diante do fato, a ADPERGS adotou providências viabilizando o ingresso de Ação Ordinária Inibitória e de Remoção de Ilícito pelo seu associado, e adotará providências, em conjunto com o Defensor Público prejudicado, visando a responsabilização em todas as esferas dos autores das “fake news”.

A Associação reitera que seguirá firme na defesa das prerrogativas de suas associadas e associados, essenciais para o cumprimento do dever constitucional de defesa dos direitos humanos dos defensores públicos”.

 Clique aqui para ler na íntegra a nota de desagravo assinada por 557 defensores de todo país




Topo da página

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 3 de abril de 2020, 19h47

Comentários de leitores

1 comentário

Vitimas

alvarojobal (Advogado Autônomo - Civil)

Gostaria de ver um relatório da defensoria sobre a defesa de interesse das vitimas dos criminosos nos últimos anos, visto que se apregoa a Defensoria a defesa dos infratores penais.

Comentários encerrados em 11/04/2020.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.