Consultor Jurídico

Notícias

Ato político

'Não troco minha dignidade pela minha liberdade', diz Lula ao "negar" semiaberto

Por 

Ex-presidente Lula nega progressão de regime em carta divulgada por sua defesa
Reprodução

Por meio de seus advogados Cristiano Zanin e Valeska Teixeira, o ex-presidente Lula divulgou uma carta endereçada "ao povo brasileiro" em que rejeita o benefício da progressão de pena proposto pelo Ministério Público Federal do Paraná

No texto, o líder petista afirma que não aceita barganhar seus direitos e nem sua liberdade, e defende que caberá ao Supremo Tribunal Federal julgar a suspeição do ex-juiz e atual ministro do governo Bolsonaro, Sérgio Moro (Justiça). Leia abaixo a íntegra da carta:

"Ao Povo Brasileiro
Não troco minha dignidade pela minha Liberdade.
Tudo que os procuradores da Lava Jato realmente deveriam fazer é pedir desculpas ao Povo Brasileiro, aos milhões de desempregados e à minha família, pelo mal que fizeram à Democracia, à Justiça e ao país.
Quero que saibam que não aceito barganhar meus direitos e minha Liberdade.

Já demonstrei que são falsas as acusações que me fizeram. São eles e não eu que estão presos as mentiras que contaram ao Brasil e ao Mundo.
Diante das arbitrariedades cometidas pelos Procuradores e por Sergio Moro, cabe agora a Suprema Corte corrigir o que está errado, para que aja justiça independente e imparcial. Como é devido a todo cidadão.
Tenho plena consciência das decisões que tomei neste processo e não descansarei enquanto a verdade e a Justiça não voltarem a prevalecer.
Curitiba, 30/09/2019
Luiz Inácio Lula da Silva"

Clique aqui para ler a cópia da carta 

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 30 de setembro de 2019, 16h58

Comentários de leitores

8 comentários

Lula 4 x conjur 4

rcanella (Funcionário público)

Todo mundo sabe da fama de analfabeto que Lula tem, mas aqui o CONJUR empatou com ele nesse quesito, pois numa provável tentativa de corrigir o texto da carta original conseguiu cometer o mesmo número de erros gramaticais do célebre detento. Vejamos:
LULA: 1º - pelo mal que fizeram à Democracia, a Justiça (faltou acento grave); 2º - e ao pais (faltou acento agudo); 3º - São eles e não eu (faltou pôr a expressão “e não eu” entre vírgulas); 4º cabe agora à Suprema Corte corrigir o que esta (faltou acento agudo) errado.
CONJUR: 1º - São eles e não eu (faltou pôr a expressão “e não eu” entre vírgulas); 2º - que estão presos as (faltou acento grave); 3º - cabe agora a Suprema Corte (faltou acento grave); 4º - corrigir o que está errado para que aja justiça (forte essa: tiraram o “h”, mudando o verbo haver para agir).
Em tempo: Na carta original, é preciso consultar o VAR para sabermos se Lula quis pôr acento grave na expressão “pedir desculpas ào Povo” ou se trata apenas de uma mancha de tinta acidental.

É fácil negar a progressão de pena...

Voldyriov (Outros - Trabalhista)

sem ter de viver no sistema prisional gestado por décadas de contingenciamento do fundo penitenciário. Sem ter de dividir cela com mais de 50 pessoas, sendo obrigado a dormir em colchonete e a ensopar o chão de água para sobreviver ao calor.

O Brasil merece gente melhor.

O maior ladrão do país apenas continua enganando os incautos

Vercingetórix (Advogado Autônomo - Civil)

Ciente de que terá de ressarcir o dano ocasionado/devolver o proveito criminoso, além de trabalhar, o célebre ex metalúrgico de 9 dedos se adiantou com essa bela escusa para enganar quem ainda acredita na sua ladainha.

Mais do mesmo.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 08/10/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.