Consultor Jurídico

Notícias

Espelhamento de dados

Defesa de Janot pede cópia de material apreendido pela Polícia Federal

Por  e 

O ex-procurador da República Rodrigo Janot pediu ao Supremo Tribunal Federal uma cópia do material apreendido pela Polícia Federal no seu escritório e em sua casa na última sexta-feira (27).

PF apreendeu um celular, um tablet, um computador e um HD externo na sexta (27)

Na ocasião, após autorização do ministro Alexandre de Moraes,  foram apreendidos um celular, um tablet, um computador e um HD externo.

A petição desta segunda-feira (30/9) pede o espelhamento de dados dos dispositivos apreendidos. A defesa de Janot é feita pelo advogado criminalista Bruno Salles Ribeiro, sócio de Cavalcanti Sion e Salles Advogados. 

Busca e Apreensão
Na decisão, Alexandre também proibiu Janot de se aproximar a menos de 200 metros de qualquer um dos ministros do tribunal. O ex-PGR está impedido de entrar no Supremo e teve suspenso seu porte de armas.

Segundo o ministro, as medidas cautelares foram tomadas “para evitar a prática de novas infrações penais e preservar a integridade física e psicológica dos ministros, advogados, serventuários da justiça e do público em geral que diariamente frequentam esta Corte”.

A decisão de Alexandre se baseou em um pedido do ministro Gilmar Mendes, após tomar conhecimento de entrevistas em que o ex-procurador disse que chegou a ir armado para uma sessão do STF com a intenção de matar a tiros o ministro Gilmar.

“Não ia ser ameaça não. Ia ser assassinato mesmo. Ia matar ele [Gilmar] e depois me suicidar”, afirmou à Veja e e ao O Estado de S. Paulo.

 é correspondente da revista Consultor Jurídico em Brasília.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 30 de setembro de 2019, 20h31

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 08/10/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.