Consultor Jurídico

Unidos pelo interesse

Apoio da ANPR a Moro visou pedido por aumento salarial de procuradores e juízes

O apoio da Associação Nacional de Procuradores da República (ANPR) ao ministro da Justiça Sergio Moro, na época em que o então juiz federal divulgou áudios de conversas entre os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, foi dado visando futuro pedido por aumento salarial de procuradores e juízes.

ANPR apoiou Moro visando pedir aumento no salário de procuradores e juízes
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

As informações constam de conversas entre os procuradores José Robalinho Cavalcanti, presidente da ANPR à época, e Deltan Dallagnol. As mensagens foram divulgadas pelo The Intercept Brasil, em newsletter deste sábado (21/9).

"Caro Deltan, o pedido que lhe faço agora – e em larga medida de toda a frente – é tentar fazer chegar um apelo a Sérgio Moro sobre o reajuste nosso e dos juízes. Sabemos que Moro sempre foi a favor. Sofre com a mesma corrosão que sofremos e sabe, para além da injustiça conosco – vez que todos tiveram alguma reposição, menos as magistraturas – que isso está enfraquecendo a atratividade das duas carreiras", pediu Robalinho  em novembro de 2018, dois anos depois da divulgação das escutas.

O pedido de Robalinho mostra que o apoio a Moro foi rodeado por uma intenção corporativista. Ele argumentou a Deltan que "o foco do combate ao crime à corrupção passa certamente pela manutenção da qualidade, da motivação e do engajamento das magistraturas nacionais". Disse ainda acreditar que Moro não acharia indevido procurar o presidente Jair Bolsonaro e argumentar sobre o pedido.

"Estamos há cinco anos sem efetiva reposição inflacionária – o último reajuste é de janeiro de 2015, porém é a terceira parcela de um reajuste aprovado em 2013 e que só repõe a inflação até 2013 -, e apenas nós juízes e membros do MP, em toda a união, não tivemos qualquer reposição. Além disso, fizemos o dever de casa", disse na mensagem.

Ao Intercept, Robalinho garantiu não se lembrar de ter pedido a Deltan que fizesse a ponte com Moro para tratar do reajuste. Afirmou ainda que não publicou notas apenas em defesa de Moro, mas também a outros magistrados.

"Soltei notas também em favor de Marcelo Bretas e em favor de juíza federal do Norte do país, quando colegas foram atacados de forma conjunta, sempre que fosse importante para a classe. Nunca vi problema nisso", disse.

De acordo com a reportagem, Deltan nunca respondeu às mensagens de Robalinho no Telegram. 

Reajuste de Temer
Ao final do mandato, em novembro, o presidente Michel Temer sancionou o reajuste de 16% no salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal.  

O aumento gera um efeito cascata, uma vez que esses salários vinculam os rendimentos dos magistrados das demais instâncias. 

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 22 de setembro de 2019, 14h15

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 30/09/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.