Consultor Jurídico

Notícias

Aditivos contratuais

Juiz da 1ª Vara Federal de Curitiba bloqueia bens de Beto Richa por conta de pedágios

Por 

O juiz Friedmann Anderson Wendpap, da 1ª Vara Federal de Curitiba, decidiu bloquear bens no valor de R$ 19,96 milhões do ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) e de mais 16 pessoas investigadas na operação "integração", que apura irregularidades em pedágios no Paraná. Duas empresas também tiveram seus bens bloqueados.

Beto Richa foi um dos investigados a ter os bens bloqueados por juiz da 1ª Vara Federal
Reprodução

Na decisão desta segunda-feira (2/9), o magistrado acata pedido feito na ação civil pública por improbidade administrativa ajuizada pelo MPF.

O despacho também prevê a indisponibilidade de imóveis e veículos citados na investigação do Ministério Público Federal.

A investigação aponta que os investigados teriam recebido propinas em troca de aditivos contratuais que aumentaram as tarifas de pedágio e reduziram a quantidade de obras por parte da concessionária Econorte.

Conforme o MPF, os pagamentos indevidos feitos a agentes públicos e privados se relacionavam com a licitação das obras da PR-323, entre Maringá, no norte, e Francisco Alves, no noroeste do estado. A duplicação da estrada estava prevista, mas nunca saiu do papel.

Clique aqui para ler a decisão.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 4 de setembro de 2019, 17h56

Comentários de leitores

1 comentário

Beto Richa Abandonado

kalil Aziz (Defensor Público Estadual)

Só falta o restante da quadrilha: Cássio Taniguchi, Jaime Lerner e Luciano Ducci.
O Brasil tem que ser limpo!!!!
Este canalha achou que nunca seria pego.

Comentários encerrados em 12/09/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.