Consultor Jurídico

Notícias

Legado internacional

Comunidade jurídica lamenta morte de advogado e professor Luiz Olavo Baptista

Por 

A comunidade jurídica lamentou a morte do advogado Luiz Olavo Baptista. O professor aposentado da USP morreu em São Paulo nesta sexta-feira (18/10) em virtude de uma grave pneumonia, aos 81 anos.

Luiz Olavo Baptista foi um dos pioneiros da arbitragem no país
Reprodução

O advogado especializado em Direito Empresarial Walfrido Warde disse que Baptista foi pioneiro na arbitragem no país. "Foi o grande e moderno internacionalista brasileiro. Criou a arbitragem no Brasil. Foi meu professor, confiou em mim, recomendou-me muitas vezes. Acreditou em mim. É um dia muito triste. É uma grande perda."

O ex-reitor da USP João Grandino Rodas, que também foi consultor jurídico do Itamaraty, ressaltou a expertise de Baptista no Direito do Comércio Internacional. "O passamento do professor Luiz Olavo Baptista priva o Brasil de um de seus maiores expoentes no Direito do Comércio Internacional. Soube unir, como poucos, a teoria à prática, jurídicas. Seu conhecimento e seu arrojo ficarão na lembrança de seus colegas e alunos."

O advogado Flávio Yarshell destaca o legado de Baptista. “Perda irreparável para a comunidade acadêmica e para o mundo da arbitragem. Consola-nos, ainda que de forma insuficiente, o legado que deixou naquelas e em outras searas."

O ex-diretor da Faculdade de Direito da USP José Rogério Cruz e Tucci lembrou da gestão de Luiz Olavo Baptista na AASP (Associação dos Advogados de São Paulo). "Precursor da arbitragem no Brasil, professor de renome que sempre honrou as Arcadas. Foi um reconhecido presidente da AASP, num momento importante da história da instituição. Perda lamentável!"

Para o ex-advogado-geral da União Luís Inácio Adams, Baptista promoveu o país no mercado mundial. "Luiz Olavo Baptista é, sem dúvida alguma, o brasileiro que mais destacou o Brasil no cenário internacional na arbitragem e comércio internacional. Sua ausência é lamentada e será sentida."

"Foi-se um sábio", resumiu o criminalista Alberto Zacharias Toron.

Maristela Basso, professora da USP e sócia do Nelson Willians Advogados, ressaltou o lado mentor de Baptista. "Partiu o melhor de todos nós. Nossa melhor versão. Sem ele eu nada teria feito e em lugar nenhum teria chegado. Ele tinha sobre os ombros o mundo. As guerras, as fomes e as discussões sem solução. Mas a ele não pesava porque fora talhado a nos apontar sempre uma saída. Era dele que vinha sempre a indicação do caminho, o farol,  o melhor conselho. Chegou um tempo em que não adianta morrer porque viverá em nós e nos que nos seguirão. Perdi meu pai intelectual, meu melhor amigo , meu anjo protetor." 

O advogado Claudio Castello de Campos Pereira recordou a generosidade do professor da USP. "Além de um nome que se retornou referência na advocacia e na academia, o Professor Luiz Olavo Baptista vai além de seu enorme legado para o mundo jurídico, era uma pessoa agradável e generosa com seus alunos. Eu tive o privilégio de receber dele um auxílio precioso em um momento crítico pessoal quando ainda estudante do Largo São Francisco. Uma ajuda silenciosa que ninguém nunca soube, porque sua generosidade era avessa a holofotes. É uma perda irreparável. Conforto aos amigos, como nós, e familiares".

Vamilson Costa, sócio do Costa Tavares Paes Advogados, disse que Luiz Olavo Baptista fará falta. “Exemplo de jurista e advogado, pioneiro e grande incentivador do instituto da arbitragem no Brasil, além de expoente do Direito Internacional. Sua perda é irremediável para o mundo jurídico, seus familiares, colegas e amigos”.

"A trajetória de Luiz Olavo Baptista, desde a Faculdade de Direito da PUC, seja como professor no Largo de São Francisco, na consolidação da Sociedade de Advogados L.O.Baptista e seu trabalho na Organização Mundial do Comércio, revela um dos juristas mais criativos e inovadores de nossa história. Sua contribuição ao Direito Societário, inclusive no plano internacional, foi das mais relevantes e como um cidadão ligado às questões do seu tempo foi exemplar. Trata-se da perda de um amigo e de um grande advogado", disse o advogado Rubens Naves, sócio do escritório Rubens Naves Santos Jr. Advogados.

O Instituto dos Advogados de São Paulo manifestou pesar com a morte de Baptista e presta condolências a seus amigos e familiares.

*Texto atualizado às 20h04 do dia 18/10/2019 para acréscimo de informações.

 é correspondente da revista Consultor Jurídico no Rio de Janeiro.

Revista Consultor Jurídico, 18 de outubro de 2019, 16h50

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 26/10/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.