Consultor Jurídico

Notícias

Manchas de óleo

Turista pode remarcar viagem a praias atingidas por óleo e sem multa, diz Procon

Por 

Turista pode remarcar a viagem ou cancelar a compra do pacote sem multa
Dollar Photo Club

A Fundação Procon de São Paulo divulgou orientação para consumidores que tenham comprado pacotes de viagem ou hospedagem em hotéis em praias da região Nordeste que foram afetadas por manchas de óleo.

Segundo a entidade de prestação de serviços ao consumidor, o turista pode cancelar ou remarcar a reserva sem pagar multa. Basta procurar a empresa contratada e pedir o cancelamento da compra ou a remarcação da viagem.

"Como nem a companhia de turismo nem o hotel provocaram esse ato, estamos orientando a que se dê ao consumidor uma nova data para que ele possa se hospedar novamente sem multa ou que seja remarcado o passeio, devido à vulnerabilidade do consumidor dentro da relação de consumo. Ele tem direito à vida, à saúde e à segurança. Ele não pode ser submetido a usufruir um produto que exponha sua vida, saúde e segurança", explicou o diretor-executivo da Fundação Procon-SP, Fernando Capez.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 14 de outubro de 2019, 19h00

Comentários de leitores

1 comentário

Especulações

O IDEÓLOGO (Outros)

Dizem que quem jogou óleo nas praias brasileiras atingidas, foi a República Bolivariana da Venezuela (Bolsomimos), explosão que ocorreu nas áreas abissais do mar (geólogos), navios franceses (novamente, Bolsomimos), conspiração dos marxistas (novamente, Bolsomimos), países africanos descontentes com o Bolsonaro (Olavo de Carvalho e seus seguidores), ira divina (evangélicos brasileiros), norte-americanos apoiados por Bill Clinton (Ministro Ricardo Salles) e chineses descontentes com a guinada do Brasil para a direita (Olavo de Carvalho).

Comentários encerrados em 22/10/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.