Consultor Jurídico

Notícias

Lei Maria da Penha

Bolsonaro sanciona projeto que tira posse de arma de agressor

Por 

Nova lei prioriza matrícula de dependentes de vítima de violência doméstica
Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro sancionou dois projetos de lei que alteraram a Lei Maria da Penha nesta segunda-feira (7/10). Em um, prevê a apreensão de arma de fogo sob posse de agressor em casos de violência doméstica.

No outro, prioriza a matrícula dos dependentes da mulher vítima de violência doméstica e familiar na instituição de educação básica mais próxima de seu domicílio.

Para ter o benefício, a vítima deve apresentar documentos que atestem o registro de uma ocorrência policial ou de processo de violência doméstica e familiar em curso.

A Lei Nº 13.882 também garante o sigilo dos dados da vítima e de seus dependentes matriculados ou transferidos para outras escolas. O acesso às informações será reservado a juízes, membros do Ministério Público e outros órgãos competentes.

Já a lei Nº 13.880 determina que se verifique se agressor possui registro de porte ou posse de arma de fogo. Em caso positivo, o poder público tem que juntar aos autos do processo essa informação e notificar instituição responsável pelo registro ou emissão do porte de arma.

A lei também determina apreensão imediata de arma de fogo em posse do agressor.

Essa não é a primeira alteração da Lei Maria da Penha do governo Bolsonaro. No último dia 17 de setembro, o presidente sancionou o projeto de lei 2.438/19, que insere três parágrafos no 9º artigo da Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006).

Agora a legislação prevê que o agressor seja obrigado a ressarcir os custos dos serviços de saúde prestados pelo Sistema Único de Saúde a vítimas de violência doméstica.

Clique aqui para ler a Lei 13.882/2019
Clique aqui para ler a Lei 13.880/2019

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 9 de outubro de 2019, 13h36

Comentários de leitores

4 comentários

Boa tarde queridos eleitores da extrema-direita

tudi bon (Outros)

Ah e mais uma pra vocês:
'Bolsonaro veta obrigação de hospitais de notificar suspeitas de violência contra a mulher "
tá ok?

Boa tarde queridos eleitores da extrema-direita

tudi bon (Outros)

Passando para lembrar que a iniciativa veio de Deputado Federal Alessandro Molon (PSB/RJ). Nosso querido presidente fake só caneteou, afinal alguma coisa ele tem de fazer.

Tô esperando

Ian Manau (Outros)

Quando as feminazis protestarão contra isso também?

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 17/10/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.