Consultor Jurídico

Artigos

Opinião

Furo: Barroso mostra desnecessidade de PEC da presunção de inocência!

Comentários de leitores

10 comentários

Nada como manter a coerência

IsauraLibre (Professor)

Sempre coerente em seu discurso, o Prof. Lenio hoje colhe os frutos da sua sensatez ao reafirmar a importância da manutenção das garantias constitucionais e consequentemente da própria identidade da Constituição

Deslealdade intelectual.

José Garibaldi Machado (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Não acredito que Lênio desconheça a diferença entre prisão decorrente de sentença condenatória confirmada em segundo grau e prisão preventiva. A primeira prescinde de qualquer outro requisito que não seja uma condenação ou mantença de condenação pelo segundo grau. Essa foi solenemente banida (na prática) de nosso ordenamento pelo STF. Já a preventiva, nunca teve q
sua vigência questionada (ainda não). Vergonha.

O busílis não é outro?

Fernando Sá de Melo (Serventuário)

Nesse tema, fica um pouco a impressão de que Lênio Streck ignora (ou releva, por estratégia) o fato de que aqueles que apontam a proibição da prisão em 2 instância estão conscientes de que assim o fazem referindo-se (ainda que não expressamente) em verdade às prisões decorrentes da condenação e não daquelas próprias das cautelares.

O que essa turma defende mesmo é a prisão decorrente da condenação em 2 instância e assim brada que tal possibilidade foi negada pelo STF (corretamente, diga-se), quando se articulam eles para propor a tal PEC (inconstitucional) da prisão em 2 instância.

Não querem se referir às prisões em flagrante ou provisórias, que entendem terem sido preservadas.

Não seria esse o busílis, amado mestre?

Extra extra revelado um grande jornalista

Marcelo CH (Advogado Autônomo - Civil)

se Streck está tratando o Sardenberg dessa maneira ele deve ser um excelente jornalista, do tipo que fala algumas coisas que irritam certas pessoas.
As pessoas deviam ler, ouvir e assistir mais Sardemberg pois credibilidade é artigo de luxo nos tempos presentes.

Professor Cid Moura

Guilherme de Oliveira de Barros (Advogado Associado a Escritório - Internacional)

Professor, estou curioso. Qual a disciplina que o senhor leciona? Talvez não seja do campo do Direito, o que explica sua opinião sobre o que nós, advogados, achamos sobre o debate acerca da matéria.

Sua postagem é curiosa. Por acaso médicos devem ouvir leigos sobre técnicas de cirurgia, medicamentos a serem receitados, diagnósticos, etc?

"Ah, o Beto está muito ocupado na maior emissora da América Latina, logo, as besteiras que ele fala devem ser apreciadas como sendo equivalentes à opinião de juristas".

É uma posição curiosa, e gostaria de saber o que exatamente o prezado Professor (de qual disciplina, mesmo?) está sugerindo.

Discussão ultrapassada

Eduardo Pracz (Advogado Autônomo - Criminal)

Este debate já é ultrapassado e têm como objeto de crítica apenas ignorantes que desconhecem a lei processual penal. O principal enfoque da pauta argumentativa do Ministro Barroso na defesa da execução da pena após a segunda instância não se concentra nos presos provisórios, mas justamente naqueles que aguardam em liberdade e se escoltam nos Recursos especiais, Extraordinários e nos regimentais para procrastinar o cumprimento de suas penas. O eminente colunista, um verdadeiro hermeneuta, poderia deixar de bater em teclas já batidas e começar a refletir sobre a constitucionalidade da mudança de natureza jurídica do RESp e do RExt.

Arcaicos (!?)

Sandro Monteiro (Professor Universitário - Administrativa)

Cid Moringa Oca acusou o golpe! A turma do Sardenberg não gostou! (2)

Recalque

Schneider L. (Servidor)

O articulista se morde de raiva por ter sido preterido pelo Barroso na vaga para o STF. Para aliviar suas crises, proponho a análise de uma pesquisa da AMB feita em 2019, disponíveis aqui:

https://www.conjur.com.br/2019-fev-13/morto-1979-pontes-miranda-doutrinador-favorito-juizes

Luis Roberto Barroso é o jurista mais citado entre os juízes de 1º e 2º grau, atrás somente do grande Pontes de Miranda. Quase não se vê Lênio Streck nessa pesquisa. A única fez em que é mencionado é na porcentagem de magistrados que citam suas obras doutrinárias. O "jurista" tem 6 citações, no total de 0,2%.

Falta muito para falar do Ministro Barroso como se tivesse em alguma posição de superioridade.

Arcaicos

Cid Moura (Professor)

Os antigos aDEvogados são aqueles que acham que só eles podem falar sobre o direito. Beto sequer sabe quem é Lenio. Se sabe, não lhe dá a minima. Tem mais o que fazer na maior emissora da America Latina. Pobres analógicos coitados, serão atropelados pelo TGV da historia . Esses dinossauros são aqueles que brigam com a AI no direito e devem usar giz e quadro negro em sala de aula.

Extra, extra

John Paul Stevens (Advogado Autônomo)

A turma do Sardenberg nao gostou!

Comentar

Comentários encerrados em 6/12/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.