Consultor Jurídico

Notícias

Documento falso

Mulher que processou padre Marcelo por plágio é condenada a indenizar religioso

O juiz Alexandre de Carvalho Mesquita, da 1ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, condenou a escritora Izaura Garcia de Carvalho Mendes, que acusou o padre Marcelo Rossi de plágio, a indenizar o religioso e a editora Globo em R$ 50 mil para cada um.

Izaura entrou com ação contra o padre e a editora alegando que um trecho do livro “Ágape” havia sido copiado de uma obra dela e pedindo indenização de mais de R$ 50 milhões. No entanto, um dos documentos apresentados pela autora era falso e ela chegou a ser presa em maio desse ano por estelionato.

Escritora acusou padre de plágio e apresentou documento falso na ação
Reprodução

Ao analisar o caso, o magistrado revogou a liminar que havia suspendido a publicação, distribuição e venda de “Ágape” e condenou a escritora a pagar um valor ainda não calculado correspondente ao montante que a editora deixou de lucrar com a suspensão da venda da obra.

Izaura também foi condenada a devolver R$ 154.614,04. O valor corresponde à totalidade dos valores recebidos pela escritora, no acordo extrajudicial firmado com a editora em 2013, referente a utilização do texto “Perguntas e Respostas - Felicidade! Qual é?" no livro "Ágape" e também para a publicação do livro “Diabetes.com.saude”, escrito por ela.

Conforme o magistrado, o acordo foi celebrado com base em erro, já que a autora não conseguiu provar ser a dona dos direitos autorais.

Clique aqui para ler a sentença
Processo 0207577-13.2018.8.19.0001

Revista Consultor Jurídico, 12 de novembro de 2019, 12h22

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 20/11/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.