Consultor Jurídico

Notícias

Desigualdade social

Grupo de milionários dos EUA quer pagar mais imposto de renda

Por 

Dos três candidatos democratas que estão liderando as pesquisas de opinião pública na disputa para ser o candidato do partido na eleição presidencial de 2020, dois estão defendendo uma proposta que parece incoerente com o espírito capitalista que domina os EUA: fazer os milionários pagar mais imposto de renda. Mas, nesta semana, eles ganharam aliados improváveis — um grupo de milionários.

Grupo de milionários criticou a política tributária de Trump e defendeu que o governo deve arrecadar mais com contribuintes de alta renda Reprodução

Um grande número de milionários compareceu a uma conferência em São Francisco, Califórnia, intitulada Conferência sobre a tributação dos ricos, organizada por um grupo chamado “Milionários Patriotas” — uma espécie de clube de milionários, cujos membros têm de ganhar pelo menos US$ 1 milhão por ano ou ter um capital acumulado de pelo menos US$ 5 milhões.

Nessa conferência, ficou claro pelas palavras de palestrantes e manifestações dos participantes que os milionários não estavam ali para discutir formas de ganhar mais dinheiro, pagando menos impostos. Ao contrário, eles criticaram a política tributária do presidente Donald Trump, que cortou a contribuição dos milionários e das grandes empresas para o imposto de renda e defenderam a necessidade de o governo arrecadar mais dos contribuintes de alta renda, como uma forma de reduzir a desigualdade social.

O presidente dos Milionários Patriotas, Morris Pearl, explicou: “Como milionários, não deixamos de ser gananciosos. Mas há uma ganância maior agora. Queremos que nossos filhos cresçam em um país igual aquele em que crescemos”, segundo o Courthouse News Service.

Na década de 70, a desigualdade social já era notável — mas nem tanto. Os mais ricos, que compunham 1% da população, ganhavam 10% da renda, enquanto 50% da população na base da pirâmide ganhava 20%. Hoje em dia é o contrário: 1% da população ganha 20% da renda, enquanto 50% da população ganha apenas 10%.

Para os membros do clube dos milionários, essa é uma desigualdade inaceitável. Eles poderiam viver melhor em um país mais justo. Eles acreditam que a implementação de um sistema tributário mais “progressivo”, que colete mais dos contribuintes de alta renda e tribute mais os ricos será um bom começo.

Uma das propostas do grupo de milionários é implementar a tradicionalmente controvertida tributação da riqueza. Eles sugerem adotar uma alíquota adicional de 2% no imposto de renda dos contribuintes com ativos pessoais superiores a $ 50 milhões e de 3% daqueles com ativos superiores a $ 1 bilhão.

Os dois candidatos democratas, Elizabeth Warren e Bernie Sanders, que agora estão recebendo assessoria dos Milionários Patriotas, vinham propondo uma alíquota adicional de 6% sobre a riqueza.

Na conferência, os milionários também sugeriram outras medidas tributárias, como a de “sobretaxar” os milionários, aplicar tributos mais altos aos ganhos de capital e aplicar penalidades fiscais a empresas em que há uma grande lacuna entre a renda do CEO e o salário do trabalhador médio.

Foi discutido especificamente o caso de empresas em que a relação entre a renda anual do CEO e a renda anual do trabalhador médio é de 50 por 1. Nesse caso, as empresas deveriam pagar uma alíquota adicional de 2%, sugeriu a senadora estadual Nancy Skinner.

 é correspondente da revista Consultor Jurídico nos Estados Unidos.

Revista Consultor Jurídico, 8 de novembro de 2019, 8h35

Comentários de leitores

2 comentários

Sorte que eles que não decidem

Pedro Mosqueira (Advogado Autônomo - Tributária)

Não decidem e não representam os outros milionários...

S.M.J., nada impede isso

E. COELHO (Jornalista)

Quem desejar pagar mais impostos fique à vontade, pois S.M.J., nada impede fazer isso. Basta depositar nas contas do governo.

Comentários encerrados em 16/11/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.