Consultor Jurídico

Notícias

"carne fraca"

Justiça Federal do Paraná vai julgar recurso da União contra indenização a juiz

A 1ª Turma Recursal da Justiça Federal do Paraná vai julgar nesta quinta-feira (7/10) recurso da União contra decisão em que foi condenada a indenizar um juiz federal de Curitiba responsável pela operação "carne fraca". As informações são do jornal O Estado de São Paulo.

123RFJuiz responsável pela operação "carne fraca" se disse ofendido por ter sido chamado de "estrupício"

No caso, o juiz Marcos Josegrei da Silva, da 9ª Vara Federal de Curitiba, se disse ofendido por ter sido chamado de "estrupício" e “analfabeto voluntarioso” pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal. 

O magistrado entrou com ação contra o Tesouro e poderá receber R$ 20 mil em indenização, segundo decisão no Juizado Especial Cível da juíza federal substituta Giovanna Mayer, colega de fórum de Josegrei na capital do Paraná. 

Na decisão, a magistrada considerou que ainda que o ministro do STF possa tecer críticas dentro dos autos, "toda e qualquer crítica pode ser feita de maneira respeitosa, com urbanidade, sem ofensas, com auto-contenção".

"Como se trata de decisão judicial, não haveria qualquer problema de crítica contundente à decisão, mas não foi o que aconteceu quando se nominou o juiz, chamando-o de estrupício", afirmou.

"Carne fraca"
Em março de 2017, um consórcio também formado no Paraná entre agentes federais, procuradores e magistrados surpreendeu o país ao deflagar uma barulhenta operação que derrubou grandes exportadores brasileiros de proteína animal.

Levantamentos do setor apontaram perdas na sequência pela queda nos embarques para o exterior em US$ 2,74 bilhões, cerca de R$ 11 bilhões pelo câmbio. Uma das mais atingidas foi a gigante BRF, conglomerado que abriga as marcas Sadia e Perdigão.

A maioria das decisões da operação daquele ano caiu nas instâncias superiores. Nas que restaram, as defesas dos sete réus foram intimadas a apresentarem novamente as alegações finais.

Processo 5040456- 74.2018.4.04.7000

Revista Consultor Jurídico, 4 de novembro de 2019, 12h34

Comentários de leitores

2 comentários

E a ação de regresso?

Hans Zimmer (Assessor Técnico)

Vai ter, ou "the king can do no wrong"?

mal negócio

Patricia Ribeiro Imóveis (Corretor de Imóveis)

os 20 mil reais que receberá, caso venha a receber, não compensarão uma humilhação que, a rigor, ninguém mais lembrava...

Por ter entrado com a ação, a notícia a isso relativa recebeu o título "A volta do estrupício". Muito criativa essa Conjur...

Era melhor ter ficado quietinho!

Comentários encerrados em 12/11/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.