Consultor Jurídico

Notícias

Violações de direitos

DPU e MPF questionam ordem de Bolsonaro para comemorar golpe militar de 64

Comentários de leitores

7 comentários

Gênios

Rogério Brodbeck (Advogado Autônomo - Civil)

A ordem do Presidente foi num fim de semana ou segunda, não lembro. Mas, vão me fazer acreditar que em 24/48 horas a DPU produziu uma petição inicial de 19 laudas colacionando toda essa jurisprudência?? Bota pesquisa madrugadas a dentro nisso...!!!

Dpu pagando mico

MACUNAÍMA 001 (Outros)

Segundo a jurisprudência do STF, a atuação da DPU em ação civil pública deve levar em conta a sua função institucional prevista na constituição federal, de prestar assistência jurídica aos pobres.
Assim, como a questão de fundo da ACP não veicula defesa de direito da população pobre, manifesta a ausência de legitimidade ativa da DPU para propor essa ação civil pública. Essa ACP é motivo de escárnio e desperdício de dinheiro público.

Não era por decreto?

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

Me respondam: a criação de feriados não se dá por decreto? O Presidente baixou algum? As FFAA não podem comemorar o que acham correto? E a liberdade de expressão? Posso falar da maconha, do aborto, queimar a bandeira nacional, que não é ilegal, mas se acreditar que fui vencedor ao impedir uma ditadura de esquerda, que, anotes-se oficialmente matou 111 pessoas, aí é crime? Improbidade administrativa, essa é a senha para o MP legislar, sempre que alguém discorda vem tal ameaça. Embora acho que cada deve comemorar o que entende ser bom para si, MST comemora invasão de fazenda onde queimaram tudo o que o fazendeiro tinha, o PT comemora a manutenção do Poder de um governo que cerca a assembleia e agride jornalistas, e assim vai. Por que o MPF não propôs ação civil pública contra o PT?

E o outro lado DPU e MPF ???

Raphael F. (Advogado Autônomo)

E batizar logradouros públicos com nomes de guerrilheiros, de indivíduos que afrontaram o Estado e seus agentes com armas, explosivos, mortes e sequestros? Configura o que mesmo? E usar estruturas públicas - universidades - para disseminar radicalmente ideologias que enaltecem assassinos da humanidade como Stálin, Fidel, Che Guevara, etc?

Memória seletiva

Rivadávia Rosa (Advogado Autônomo)

Pois é – e a Contra-revolução ou movimento cívico militar de 1964 desencadeado com o apoio da população e da mídia - em razão dos elevados níveis de corrupção, da divisão da sociedade civil ameaçada pela desordem e pela subversão, teria algum sentido senão diante da ameaça à democracia, o desrespeito às normas republicanas e às regras Constitucionais, a agitação, a violência, o caos e anarquia que ameaçava o Estado de Direito?
Muitos dos que dizem que ‘defendiam a liberdade e a democracia’ na realidade tinham como objetivo implantar um regime comunista no Brasil, inspirado, financiado e monitorado por Cuba, além de Moscou e Pequim; começaram assaltando bancos, sequestros e terrorismo, cujas vítimas em sua maioria eram civis...
Porém, mediante ativa campanha midiática - são reiteradamente denunciados sob o rótulo de crimes da ditadura, torturas, prisões, omitindo-se perversamente os crimes do ‘esquerdismo’. Segundo esta nova visão – somente a direita cometeu crimes e com essa percepção distorcida passam a ‘identificar e a denunciar’ retrospectivamente cada vez mais os ‘excessos da ditadura militar’, superdimensionando unilateralmente em busca de uma NOVA MEMÓRIA SELETIVA em virtude da qual a direita e a esquerda não cometeram excessos equivalentes que devem ser perdoados reciprocamente pela Lei da Anistia. ASSIM MOVIDOS PELO ódio revanchista querem erigir como verdade a existência de um só excesso, um só ‘demônio’, cuja recordação é revivida depois de 55 anos.

Dpu e mpf

Professor Edson (Professor)

Ele ganhou 60 milhões de votos idolatrando a extrema direita e a ditadura e agora aparecem esses hipócritas. Por favor...

Defensoria agora é fiscal ?

daniel (Outros - Administrativa)

Deveriam é prestar assistência jurídica aos pobres, mas isto não querem fazer.

Comentar

Comentários encerrados em 3/04/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.