Consultor Jurídico

Comentários de leitores

10 comentários

Distorção

AC-RJ (Advogado Autônomo)

Isto não é uma reportagem, mas uma panfletagem! A credibilidade do Conjur está em direção ao lixo.

Tendenciosa

Paulo RS Menezes (Funcionário público)

Só o título já mostra a parcialidade da noticia. É papel do Legislativo fiscalizar os outros poderes, porque o STF estaria de fora. Ministros do supremo deveriam ser escolhidos dentro do quadro da magistratura em lista tríplice e com mandato temporário.

Baboseiras

Marcos José Bernardes (Advogado Autônomo - Civil)

Artigo totalmente tendencioso, aliás como a maioria aqui deste site. Não se vê uma crítica á atuação do STF e muito menos de algum de seus membros individualmente. Parece que é proibido mas não é. O Senado Federal está cumprindo seu papel. Não está emparedando o STF coisa nenhuma. Não existe órgão ou pessoas acima de lei. Todos devem ser fiscalizados e submetidos ao ordenamento jurídico. Aonde está escrito que membros do judiciário, sejam de cortes superiores ou não, não podem ser investigados? Se a autoridade máxima deste país que é o presidente da república pode, por que não os ministros?? eles estão acima de tudo e de todos? Podem tudo? Quem os controla?? Os fiscaliza?? Os investiga?? Ninguém???

Total desinformação, a quem interessa?

JJ Andrade Souza (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

Gostaria de destacar que a matéria foi feira as pressas sem se resguardar do mínimo de zelo com a veracidade das informações, traduzindo-se em total desserviço a sociedade.
Primeiro erro é que o Senador que propôs a CPI foi eleito pelo por Sergipe e não pelo Espírito Santo como consta na matéria.
Segundo a justificativa e não "desculpa" como afirmou-se na matéria é investigar os atos estranhos praticados em nossos tribunais superiores, como por exemplo a escolha seletiva de quem deve ser beneficiado com a celeridade processual ou não; pedidos de vistas para retardar julgamentos; liminares que atendem interesses suspeitos; relacionamentos promíscuos de ministros com escritórios em que parentes advogam, etc.
Terceiro erro crasso, a ditadura Venezuelana se instalo com a complacência da Suprema Corte de lá, todas as modificações na Constituição para garantir a reeleição infinita do Presidente, as eleições fraudadas e golpes contra o poder legislativo foram legitimadas pela dita Suprema Corte, logo, a corte não foi posa de joelhos mas associada a presidência, demonstrando não haver seperação de poderes.
Registro aqui a minha decepção com este portal de notícias jurídicas em não dar a devida importância a tão importante CPI, deixando de exercer o papel de imprensa livre, imparcial e independente, para apenas expor uma visão simplista que pode indicar um lado tendencioso e desinformativo de um portal de goza de todo os respeito e admiração no meio jurídico, no qual me incluo.

Lava Toga - CPI Necessária para o bem do Judiciário

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

É preciso estabelecer limites e adequar o serviço jurisdicional as suas origens e para o qual foi criado pela sociedade - apenas julgar de acordo com o ordenamento jurídico/direito posto. Interpretar as regras legais facultando-lhe as possíveis escolhas interpretativas para uma decisão mais justa ou adequada para o caso. Não está autorizado a criar regras ou, por via obliqua, julgar casos sem adequado e expresso fundamento legal.
A prática do ativismo judicial é um abuso a inteligência do cidadão e, pasmem, só traz insegurança jurídica à sociedade. O corporativismo exacerbado é outra mazela do nosso Judiciário e precisa ser contido e punido com rigor.
O Poder emana do povo. Logo o Judiciário na verdade não é nenhum "poder", pois desprovido de legitimidade.
Os magistrados são servidores públicos, como qualquer outro, uns concursados outros escolhidos, com competência para julgar os casos que lhes são levados. E os ministros das cortes superiores e do STF não são diferentes e muito menos imunes. A transparência da gestão e atividade jurisdicional deve ser regra. Hoje muitas são as denuncias de ilicitudes e promiscuidades na gestão administrativa e dos serviços jurisdicionais, demonstrando que são maus administradores do dinheiro público.
A sociedade quer e exige um serviço jurisdicional menos dispendioso, de qualidade e eficiente, sendo despiciendo se por juiz escolhido ou concursado, a exemplo p. e. do sistema inglês, dentre outros, que funciona e com menor custo.

Conjur PETISTA defensor do STF!

Manente (Advogado Autônomo)

Quais são as funções dos senadores da República?
Conjur, vocês prestam um desserviço à sociedade.
Engraçado, é que vocês não tem culhão para tecer críticas ao ministro falastrão.
Ficam criando animosidade entre os poderes.
Cadê a qualidade de tempos outrora?
Lamentavelmente, estão numa ecadência total. Eis a razão de alguns participantes não comentarem sobre as matérias e os artigos.

Fake news

Schneider L. (Servidor)

A partir de que ponto a Conjur vira Fake News?

É muito simples ver as declarações falsas e tendeciosas da matéria, bastava postar o requerimento da CPI.

Documentos que usualmente a Conjur faz, diga-se de passagem. Que vergonha

Bobagem

acsgomes (Outros)

Emparedar o STF? Bobagem. Essa sem dúvida é a pior composição da Corte de toda a história. Num Senado sério, ministros como Gilmar Medes, Toffoli e Lewandoski já teriam sido "impichados" a muito tempo. A presença deles afronta a dignidade da Corte.

Ninguém está acima da lei

Xarpanga (Advogado Autônomo - Civil)

Quem não deve, não teme.
Todos são iguais perante a lei, ninguém está acima dela.
Se o presidente, deputados e senadores podem ser investigados. Por que Ministros não podem?

A Venezuela é aqui?

Neli (Procurador do Município)

A Venezuela é aqui? Se der uma olhada, rapidamente na História da Venezuela, pode-se afirmar que a ditadura começou quando políticos, simpatizantes de Chaves, colocou a Corte Suprema de joelhos.
Discordo das decisões do STF (Cláusula de barreira partidária, Caixa 2), mas, daí a acabar com a Corte?
E essa CPI nada mais é do que querer deixar o STF de joelhos.
Aliás, se nossos congressistas são tão patriotas, porque não apresenta, uma PEC para reduzir, pela metade, o número de deputados federais, estaduais, distritais e de vereadores? E diminuir o número de senador.
E conservadores querendo impor a sua ideologia para milhões de brasileiros? O Estado, senhores, é laico...ainda!
“De lege ferenda” pela extinção do famigerado princípio da imunidade tributária para religiões.

Comentar

Comentários encerrados em 27/03/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.